São Vicente: CCB recolhe contribuições de empresários para plano de recuperação económica executado pelo Governo

Mindelo, 12 Jun (Inforpress) – A Câmara de Comércio do Barlavento (CCB) reúne-se durante estes dias com empresários das ilhas do norte para obter contribuições de medidas, que deverão ser anexadas ao Plano de Recuperação da Economia proposto pelo Governo.

Conforme informações avançadas, à Inforpress, pelo gestor do Gabinete de Promoção Empresarial, José Lopes, estas sessões, que estão sendo feitas em todas as ilhas do Barlavento, surgem na sequência de várias intervenções que a agremiação tem feito para acompanhar e apoiar o tecido empresarial, neste período de pandemia.

Uma assistência que, segundo a mesma fonte, têm dado não só aos associados, mas também aos outros empresários de uma forma geral, no sentido de perceber como vêem as medidas já implementadas pelo Governo e as outras propostas agora feitas para a recuperação económica.

“É uma segunda vaga de contactos, para perceber qual foi o resultado real que as medidas anteriores tiveram na comunidade empresarial e saber qual o contributo que querem dar agora, como propostas para o Governo, no sentido das coisas correrem melhor do que nas primeiras medidas”, explicou José Lopes.

A CCB, ajuntou, tem consciência que no primeiro momento os empresários enfrentaram dificuldades e agora a intenção é antecipar para que as medidas tenham “maior impacto possível” e os empresários tirem o “maior proveito”.

Por isso, têm um calendário de contactos que estão a ser feitos, iniciados nesta quinta-feira em São Nicolau, e o dia de hoje em Santo Antão. Segue-se Sal, na segunda-feira, 15, Boa Vista, 17 e por fim São Vicente, 19.

Isto, porque, segundo a mesma fonte, é “bom saber a percepção de quem está no terreno e sentem os constrangimentos enfrentados nas suas actividades no dia-a-dia, e que devem se sentir também representados”.

“No fim dos contactos, vamos sistematizar todas as informações e considerar as prioridades, mas, sobretudo, as particularidades de cada ilha, já que normalmente as medidas são tomadas para a classe empresarial, em geral, mas a preocupação deve voltar-se para as especificidades de cada ilha”, defendeu José Lopes, adiantando que as recomendações vão ser enviadas ao executivo, que tem o plano de recuperação económica em execução.

Para este gestor, a região do Barlavento foi a “região mais afectada” pela crise, que abateu de “forma forte e severa” sobre o turismo e que é “representado em cerca de 90 por cento (%), a nível nacional, por Boa Vista e Sal, seguindo também São Vicente, Santo Antão e São Nicolau.

Devido às medidas de segurança sanitária, as sessões de recolha dos subsídios têm sido feitas pela CCB, maioritariamente, por video-conferência, a excepção de São Vicente, que terá um encontro empresarial, mas numa sala com condições físicas, que, segundo José Lopes, permitirá salvaguardar a questão do distanciamento social “sem problemas”.

LN/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos