São Vicente: Augusto Neves pede intervenção dos autarcas na luta pela regionalização

Mindelo, 16 Abr (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, apelou hoje a “todos os autarcas” do país para reforçarem o seu apelo à regionalização, à descentralização e ao desenvolvimento igualitário em todas as ilhas.

Em conferência de imprensa no salão nobre dos Paços do Concelho, Neves disse que os autarcas não querem viver “a correr atrás de migalhas”, pelo que devem continuar a lutar pela regionalização, pois são eles que “sentem o peso da centralização na Praia”.

O presidente da câmara de São Vicente deixou “recados”, como disse, aos “ditos deputados” do PAICV eleitos pelos sanvicentinos, “a começar pela presidente do partido”, que “querem viver no bem-bom na Praia”, porque, sintetizou, “só conhecem a Praia e tudo aquilo que seja bom para as outras ilhas lhes faz coceira”.

“Isto é um recado para os ditos deputados do PAICV eleitos pelos sanvicentinos, ingratos, e que na hora da verdade escondem-se atrás do pano preto”, acusou, por isso “não são mindelenses”, porque não conseguem libertar-se das “amarras do partido único, da sede de poder e da centralização do poder”.

As críticas chegaram também à UCID, que Neves acusou de não ter uma proposta de regionalização, por “andar à deriva”, e só se preocupar com “lixeira, casas de tambor e areia”.

“O que é isso da reforma do Estado se a Constituição da República é clara e dá todas as possibilidades para se fazer a regionalização”, questionou o presidente da câmara de São Vicente, para quem a ideia de desaparecimento do município em ilhas-município “é um disparate e pura aberração”, e que só fala disso quem nunca foi autarca, pois, considerou, “o poder regional não interfere no poder local”.

Diz-se a favor da regionalização porque “apenas com ela haverá desenvolvimento” no país, com mais um poder próximo das populações para resolver as suas dificuldades e “romper com as assimetrias existentes”.

“Iremos continuar a lutar pela regionalização, é uma necessidade da população que sufragou a proposta do MpD nas eleições legislativas de 2016 e os deputados devem trabalhar e chegar a consenso quando é matéria para bem da população”, sintetizou o autarca.

Por fim, Augusto Neves lançou a ideia de que a discussão e o diálogo são as palavras-chave para o futuro, porque o MpD e o PAICV têm cada um o seu projecto, a UCID tem as suas ideias.

“Discutindo profundamente pode-se chegar a um consenso com a cedência de todos os lados, para se ter a regionalização”, finalizou.

AA/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos