Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Atleta Carlos Araújo recebido em festa após competição “extremamente difícil” na Itália

Mindelo, 22 Abr (Inforpress) – O atleta paraolímpico Carlos Araújo foi recebido em festa no Aeroporto Internacional Cesária Évora por amigos e familiares que o carregaram em ombros no seu regresso a São Vicente, após competição “extremamente difícil” na Itália. 

O velocista paralímpico cabo-verdiano, natural de São Vicente, que falava à imprensa logo à chegada no aeroporto, disse não ter palavras para explicar o que sentiu ao ouvir as pessoas a gritar pelo seu nome logo que desceu do avião. 

Uma “recepção calorosa”, até com batucada, como disse, como reconhecimento do feito do atleta, que arrecadou no dia 18 de Abril a medalha de ouro para o País, na prova dos 200 metros, no “Jesolo 2021 Grand Prix” na Itália, após duas medalhas de prata conquistadas nas provas de 100 e 400 metros, disputadas nos dias 16 e 17. 

Carlos Araújo disse ter sido uma competição “extremamente difícil”, desde São Vicente, onde não tinha lugar para treinar e usava um campo de terra batida, já que o Estádio Adérito Sena se encontra em obras. De seguida, na Cidade da Praia, contou, vieram as “lesões graves”. 

“Mas, graças a Deus que estava na Cidade da Praia e tive todo o apoio de fisioterapeutas e depois fui para Itália e fiz as minhas competições com cabeça”, assegurou, relatando as provas, entre as quais, a primeira de 400 metros “corrida de velocidade mesmo cansativa”, em que alcançou a medalha de prata com “cabeça e humildade”. 

Na competição de 100 metros, o atleta disse que lutava pelo ouro, mas teve um “desvio no bloco e quase uma queda”, mas ainda assim conseguiu aguentar e a alcançar outra medalha de prata. 

“No outro dia, na competição de 200 metros, saí com a empolgação de duas medalhas e quis alcançar a terceira e saí muito forte, mas a 50 metros da curva senti a mesma lesão que já tinha sentido e quis parar, mas ouvi o meu dirigente Alcindo Lopes a gritar-me para não parar e consegui saltar só com um pé até chegar à meta”, contou Carlos Araújo, admitindo que esta vitória foi “mesmo gratificante”, por ter sido no dia do seu aniversário e significou uma “prenda de anos”. 

“Essa competição não vou esquecer nunca”, reiterou, acrescentando que já sonhava com essas medalhas e essa conquista saiu tal e qual sonhou 

Como projectos futuros, o velocista quer recuperar-se da lesão e começar o trabalho “com força”, já que sempre acreditou em si mesmo e é sempre motivado também pela mãe, como revelou. 

A directora do gabinete do ministro da Economia Marítima, Eneida Gomes, em representação do Governo, considerou que Carlos Araújo é um “orgulho” para Cabo Verde. 

“Nós estamos de parabéns, temos um atleta muito esforçado, que conseguiu superar os percalços que teve durante as competições e trouxe-nos três medalhas. Cabo verde está de parabéns por ter a sua bandeira tão bem elevada durante essas competições”, sustentou a responsável, adiantando que o Governo “vai continuar a apoiar o atleta neste seu percurso”. 

Inicialmente estava prevista a participação de três atletas nacionais na competição, mas, devido à pandemia da covid-19, apenas o velocista conseguiu viajar. 

“Jesolo 2021 Grand Prix” é uma competição que visa melhorar a performance dos atletas e os mínimos na competição assegura uma vaga nos Jogos Paralímpicos Tóquio’2020”. 

LN/AA 

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos