São Vicente/Assembleia Municipal: Eleitos põem tónica no trabalho a favor dos munícipes na primeira sessão ordinária

Mindelo, 18 Fev (Inforpress) – A primeira sessão ordinária da Assembleia Municipal de São Vicente saída das recentes eleições autárquicas, iniciada hoje, no Mindelo, revelou eleitos municipais de todas as bancadas a apelar ao “trabalho efectivo” a favor da população.

Os trabalhos iniciaram-se pouco depois da 09:00 e no ponto destinado à intervenção dos eleitos e da câmara coube a Albertino Gonçalves, eleito do Movimento Independente Mais Soncent (MIMS), dar o mote ao manifestar o interesse pessoal e do movimento em desenvolver, na Assembleia Municipal, um trabalho de “representatividade dos munícipes”.

Reconheceu que vai ser um mandato de “desafios”, devido à pandemia da covid-19, daí pedir cumprimento rigoroso das regras emanadas pelas entidades sanitárias.

Todas as quatro forças políticas representadas na assembleia intervieram no arranque dos trabalhos, e Jean Emanuel Cruz, eleito do PAICV, classificou a sessão de “momento importante” para uma reflexão sobre a actualidade da ilha e para projectar o futuro, sem olvidar um rol de críticas que dirigiu ao executivo e ao “muito que falta fazer” no domínio social, já que São Vicente “é muito mais do que a cidade do Mindelo”.

Da parte da UCID, a eleita Silveira Teixeira disse que o partido que representa almeja “o melhor” para os munícipes, deseja, por isso, uma câmara humanizada e uma ilha com uma população dignificada.

A eleita aproveitou para denunciar a “situação crítica” e de “desânimo” dos trabalhadores da corporação dos bombeiros e da oficina da câmara, que visitou, e a “discriminação” dos vereadores eleitos pela UCID, sem “gabinetes de trabalho, sem transporte e sem salário”.

Interveio ainda o eleito Flávio Lima, pelo MpD, que clarificou que o “único propósito” da bancada que representa é “servir São Vicente e os munícipes”, elogiou ainda a parceria da câmara com o Governo, que “transformou a ilha”, tendo indicado obras concluídas e em curso na ilha frutos desta parceria, como referiu.

Seguiu-se um período destinado à intervenção dos munícipes, desta vez foram sete os oradores, que basicamente colocaram questões relacionados com as respectivas zonas de residência, como saneamento, estrada, melhoramento de infra-estruturas públicas e do atendimento na câmara, para além de um pedido expresso de os eleitos continuarem a “subir montes e vales” como fizeram na campanha eleitoral.

O primeiro período de trabalho do dia de hoje ficou marcado ainda com um voto de pesar e o registo de um minuto de silêncio em memóaria do cidadão sanvicentino Gabriel Moacyr Rodrigues, falecido no dia 23 de Dezembro do ano passado.

Para a tarde de hoje prevê-se o início da análise, discussão e aprovação do plano de actividades e da proposta de orçamento da Câmara Municipal de São Vicente para o ano económico de 2021, este estimado no montante global de 1.040.000.000 de escudos.

A Assembleia Municipal de São Vicente saída do escrutínio autárquico do dia 25 de Outubro de 2020 é construída por 21 eleitos municipais, dos quais nove pertencem ao Movimento para a Democracia (MpD), sete à União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), quatro ao Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) e um ao Movimento Independente Mais Soncent (MIMS).

AA/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos