Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Artistas cabo-verdianos, franceses e belgas juntam-se em intercâmbio cultural com jazz e morna

Mindelo, 08 Fev (Inforpress) – Os artistas cabo-verdianos da Casa das Artes do Mindelo e músicos franceses e belgas da Honky Tonk Jazz Band protagonizam um intercâmbio artístico/cultural que tem como propostas principais dois shows com músicas jazz e morna.

Conforme a directora da Casa das Artes do Mindelo, Giselle Silva, avançou à Inforpress, o primeiro contacto com a Honky Tonk Band Jazz Band aconteceu antes da vinda do grupo para Cabo Verde, quando o grupo procurou a casa das artes para produzir alguns shows que queriam fazer em São Vicente.

Sendo, assim, segundo a mesma fonte, a direcção propôs ao grupo estrangeiro o intercâmbio artístico, que contará com alguns dos professores da Escola de Canto Giselle Silva.

“Nós estamos a trocar experiência, no sentido que vamos cantar com eles uma música jazz e eles cantam connosco duas mornas”, explicou, adiantando a participação cabo-verdiana de músicos como Tey Santos, Marino Mota, Avú Rodrigues e a própria Giselle Silva.

Esta troca, que ajuntou, permite cada um ensinar um pouco da sua experiência e da sua cultura, que vai ser integrado em dois concertos, que acontecem nesta sexta-feira e sábado, 12 e 13, no espaço Manel d´Novas, no Mindelo. 

O primeiro show, denominado “EÓS”  é um espectáculo artístico com pintura e música ao vivo com 45 minutos de duração direccionado para o público em geral e onde duas diferentes vertentes da arte se abraçam.

E o segundo concerto, mais direccionado para o intercâmbio, terá assim misturas de Jazz e morna.

“Tem sido uma experiência muito interessante, são estilos musicais diferentes, mas entendemo-nos muito bem”, considerou Giselle Silva. 

Mesmo sentimento exteriorizado à Inforpress por Lise Dieumegard, uma dos elementos da Honky Tonk Sail, que é um projecto que une arte, jazz tradicional de New Orleans e que já promoveu concertos por várias partes do mundo, viajando a bordo de um catamarã. 

Desta vez depois de passar pelas ilhas canárias, decidiram conhecer Cabo Verde, onde já estão há uma semana, e já “apaixonados”. 

Lise Dieumegard disse que já conhecia a música cabo-verdiana através de Cesária Évora e Mayra Andrade. 

“Estamos muito contentes por estar aqui, as pessoas são muito acolhedoras”, sublinhou a mesma fonte, acrescentando que, apesar do estado de calamidade, puderam ter contacto com a cultura musical do Mindelo e ter contactos com músicos locais.

Lise Dieumegard rematou que o grupo de jazz pretendia continuar a viagem para o Brasil, mas devido ao fecho das fronteiras de momento naquele país da América Latina, decidiram prolongar a estadia em Cabo Verde por mais tempo, “um mês ou talvez mais”, asseverou. 

Neste sentido, tem programado para a próxima semana outros espectáculos em outras ilhas, como São Nicolau e Santiago.

LN/CP

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos