São Vicente arranca com plataforma de desenvolvimento local para “melhorar qualidade vida” dos munícipes – edil

Mindelo, 12 Abr (Inforpress) – A Câmara Municipal de São Vicente deu arranque hoje ao programa de plataforma de desenvolvimento local, que deverá estar concretizado até 2020, para “melhorar a qualidade de vida” dos munícipes, conforme avançou o edil, Augusto Neves.

O objectivo deste plano, que deverá começar a ser estruturado a partir de agora até 2020, é, segundo o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, de “melhorar a qualidade de vida” dos munícipes, sendo certo, ajuntou, que a edilidade “tudo fará” para resolver, por exemplo, constrangimentos relacionados com abastecimento de água, saneamento, habitação, saúde, acessibilidades e outros.

“São problemas importantes que todos nós podemos aderir para que as gerações vindouras tenham uma vida melhor”, realçou Augusto Neves, durante o acto de apresentação, na tarde de hoje, no Mindelo, do projecto maior da “Plataforma de Desenvolvimento Local e Objectivos 2030”, implementado pelo Governo e com apoio do PNUD.

Este programa, promovido desde 2017 em oito municípios-piloto, tem o financiamento do Grão Ducado de Luxemburgo, que na primeira fase desembolsou um montante de cerca de dois milhões de euros e agora decidiu estender o projecto até 2020, com um orçamento adicional de 1.2 milhões de euros.

“Fizemo-lo por acreditarmos na importância de reforçar as capacidades e mecanismos de desenvolvimento local”, advogou a representante Adéle Cruz, que coloca enfâse nos “bons resultados” alcançados pelos oito municípios-piloto.

“Graças ao programa, as localidades serão dotadas de ferramentas que lhes permitirão criar espaços para concertação e diálogos efectivos que incluirão a administração local, a sociedade civil e o sector privado”, afiançou, acrescentando a necessidade também de alinhamento das plataformas locais com o Plano de Desenvolvimento Sustentável do país e os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

São Vicente faz parte do grupo de outros oito municípios, que deverão assim criar as plataformas de desenvolvimento, que foram testadas nos concelhos de Ribeira Grande, Paul e Porto Novo (Santo Antão), Ribeira Grande e São Salvador do Mundo (Santiago), Mosteiros e Santa Catarina (Fogo) e Brava.

A cerimónia, realizada no Salão Nobre dos Passos do Concelho, contou com as intervenções da representante do PNUD, Elizabete Mendes, e do vice-presidente da Associação dos Municípios de Cabo Verde, Júlio Lopes, e precedeu-se a uma sessão de esclarecimento ao público.

LN/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos