São Vicente: António Monteiro exige “rapidamente” instalação dos vereadores na câmara (c/áudio)

Mindelo, 01 Dez (Inforpress) – O presidente da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), António Monteiro, que também foi eleito vereador nas autárquicas de 25 de Outubro, em São Vicente, exigiu hoje a instalação rápida dos vereadores na câmara.

António Monteiro, que falava hoje conferência de imprensa na sede do seu partido, em São Vicente, disse que desde a tomada de posse do presidente eleito, Augusto Neves, no dia 18 de Novembro, já se passaram 13 dias sem a instalação dos vereadores da UCID e do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV).

Segundo o político, desde o dia 18 já é tempo suficiente para se iniciar as démarches necessárias para que a Câmara Municipal de São Vicente (CMSV) possa funcionar.

O vereador disse “estranhar o comportamento do presidente da CMSV”, na medida em que “todos os outros municípios já estão devidamente instalados e a funcionar”, pelo que defendeu, “São Vicente não pode ser excepção e tem que ser modelo”.

“Temos visto o presidente e alguns vereadores que estão na CMSV a funcionar e não se entende o que é que estes vereadores estão a trabalhar na câmara enquanto os outros vereadores, nomeadamente os da UCID, ainda não estão na câmara”, afirmou António Monteiro, que pediu a “intervenção do ministro da tutela para retomar a normalidade na gestão da CMSV e evitar a continuidade da ilegalidade no município”.

Para o vereador da UCID “não há razão para este compasso de espera”, porque “o processo impugnação da mesa Assembleia Municipal de São Vicente tem os seus trâmites e se houver alguma coisa favorável tudo irá cair e voltará a ser iniciado”.

No seu entender, “este compasso de espera poderá ter outras motivações”, nomeadamente, explicou, “alguma preocupação em fazer desaparecer ou queimar algum arquivo”, devido às “denúncias da UCID sobre a má gestão da autarquia”.

Segundo António Monteiro, até este momento não houve nenhum contacto com os vereadores da UCID e do PAICV, tal como prometeu o presidente da câmara de São Vicente na semana passada em conferência de imprensa.

Pelo, contrário, revelou a UCID é que teve a iniciativa de telefonar para o gabinete do presidente para saber quando é que os seus vereadores iriam começar a trabalhar.

“Na altura, a pessoa que nos respondeu disse que nos iria contactar até quinta-feira. Passou uma semana, já estamos hoje na terça-feira e não nos foi feito nenhum contacto neste momento, o que para nós é estranho porque não entendemos as razões”, explicou.

Questionado se vai assumir pastas na CMSV, António Monteiro garantiu que estará na câmara enquanto vereador mas, tudo irá depender daquilo que for o cenário do trabalho que vai ter.

Isto é, esclareceu, “se for um cenário bom para o partido e bom para São Vicente estarão dispostos a trabalhar” mas, “se não for bom reservarão posição em função dos interesses de São Vicente e da própria a UCID”.

Questionado, igualmente, se houve algum contacto com o presidente do Movimento para a Democracia (MpD, poder) que esteve em São Vicente, nesses dias, o vereador e líder da UCID disse que tomou conhecimento da presença de Ulisses Correia e Silva e de alguns ministros na ilha através da comunicação social.

Mas, defendeu que “seria importante uma conversa para baixar o nível de crispação que ficou patente e latente nesses dias entre o MpD e a UCID”. Até porque, lembrou, “quando se está a avançar para as legislativas, com este nível de crispação não servirão o país de melhor forma”.

CD/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos