Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Alunos do curso de teatro do CCPM encena peça infantil de história de amor entre Gato Malhado e a Andorinha Sinhá

Mindelo, 01 Set (Inforpress) – Os alunos do curso de teatro (T18) do Centro Cultural Português do Mindelo (CCPM) estreiam no dia 17 a peça “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá- Uma história de amor”, que “ainda continua bem actual”.

Quem o diz é o encenador do espectáculo, João Branco, que foi convidado pelas responsáveis do curso, Janaína Alves e Sara Estrela, para coordenar o segundo laboratório criativo da formação de dois anos e estruturada em diversos módulos.

João Branco disse à Inforpress ter aceite com “muito gosto” o convite e propôs a encenação deste texto do escritor brasileiro Jorge Amado, editado pela primeira vez em 1948, e que permite aos actores em formação experimentar “técnicas diferentes” de interpretação, por ser uma fábula, em que utilizam máscaras e por ser uma narrativa, com princípio, meio e fim.

Por outro lado, a escolha recaiu, segundo a mesma fonte, sobre “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá” por ser uma história de amor antiga, mas que “continua absolutamente actual”.

“Fala da impossibilidade gerada pela própria sociedade, que impede que dois seres. por serem diferentes. vivam um amor. Assistimos todos os dias a estes tipos de impossibilidades, quer por as pessoas terem tipos de vida diferentes, quer pelas escolhas sexuais, quer pela classe social e por tantas outras”, sublinhou o encenador.

Desta forma, a peça que terá estreia no dia 17, no Centro Cultural do Mindelo e incluído na Mostra de Teatro Infantil do Mindelo (MOTIM), revela, ajuntou, o “preconceito” da sociedade e “como pode repercutir na vida das pessoas”.

João Branco considerou que a história mostra também outras perspectivas de vida às crianças e que nem sempre têm finais felizes, tal como a do Gato Malhado e da Andorinha Sinhá.

“A vida pode ser assim, porque se continuarmos a julgar as pessoas pela capa, as histórias, com certeza, não terão finais felizes”, advertiu.

O elenco do espectáculo é composto por 17 alunos do T18, e mais três alunos que participam da equipa de produção e que, segundo João Branco, têm tido uma “entrega espectacular” e superando “cada desafio”, desde encenar um espectáculo para crianças, que são um público “muito honesto” e ainda a “inexperiência” de interpretação.

Entretanto, assegurou, já se vislumbra “diversos talentos” neste grupo “bastante versátil” até mesmo na faixa etária, que vai dos 15 a mais de 60 anos.

João Branco regozijou-se também por uma aluna pretender no próximo ano lectivo cursar artes cénicas, em Portugal, algo que era “muito raro” em Cabo Verde, pelo menos há 15 anos.

“O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá- Uma história de amor”, com duração de 55 minutos, vai ser apresentado pela primeira vez no dia 17, no Centro Cultural do Mindelo, com duas apresentações no mesmo dia e no dia 18 acontece na Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo (ALAIM).

Enquadra-se no MOTIM, que acontece de 14 a 19 de Setembro, com espectáculos de grupos de Cabo Verde e Portugal.

LN/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos