São Vicente acolhe ateliê sobre recolha e análise de dados para reforçar agenda da eliminação do paludismo no País (c/áudio)

Mindelo, 13 Jun (Inforpress) – Médicos, enfermeiros, técnicos de laboratório e de estatística e epidemiologistas participam hoje, em São Vicente, numa formação de capacitação sobre recolha e análise de dados, visando reforçar a agenda da eliminação do paludismo no País.

Conforme o coordenador do Programa Nacional de Doenças de Transmissão Vectorial Associados ao Meio Ambiente, António Moreira, a acção vem reforçar a avaliação tendente à eliminação do paludismo, em que o País, neste momento, se encontra “numa fase adiantada” de preparação da certificação da eliminação da doença.

Segunda a mesma fonte, ainda este mês virá ao País uma equipa da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a pré-certificação e, a seguir, “se tudo correr bem”, em Setembro virá de novo para certificar Cabo Verde como País livre do paludismo.

“Para tal teremos que estar organizados, com dados actualizados, para que possamos ser avaliados correctamente e obter o certificado”, concretizou a mesma fonte, que lembrou que o ateliê de hoje aborda a colheita e análise de dados sobre o paludismo em Cabo Verde, com recurso ao sistema de vigilância epidemiológica e sistema de informação geográfica, de uma forma descentralizada a nível nacional.

O objectivo é ter “dados de qualidade em tempo real”, com utilização da plataforma DHIS2, na qual os dados são nacionais e com relatório de imediato, já que se quer uma recolha baseada na vigilância e estruturas “mais activas” em relação a casos de paludismo.

“Que o diagnóstico seja precoce e o tratamento correcto e que os dados correspondam ao número de casos que têm sido registados, de facto, em Cabo Verde”, assinalou António Moreira.

A mesma fonte informou ainda que nos últimos anos o País tem estado a registar casos importados e que São Vicente é uma ilha que tem estado “muito vigilante.

Depois de São Vicente o ateliê será ministrado nas ilhas de Santo Antão e São Nicolau, as duas que faltam para fechar o quadro nacional de deslocações da equipa formativa do Ministério da Saúde.

Paralelamente, a Delegacia de Saúde de São Vicente recebe hoje uma outra acção de capacitação, desta vez destinada à equipa da Comunidade Terapêutica da Ribeira de Vinha, a qual deve ser inaugurada ainda no decorrer do corrente mês de Junho.

A entrada em funcionamento da Comunidade Terapêutica da Ribeira de Vinha é uma preocupação antiga da população da ilha de São Vicente, infra-estrutura que vai servir toda a região do Barlavento, e cujo trabalho se vai basear na aposta na prevenção e com as famílias dos doentes.

AA/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos