São Vicente: 60 manobradores de máquinas terão certificados válidos para trabalhar em Cabo Verde e na União Europeia

Mindelo, 09 Jun (Inforpress) – Sessenta pessoas em São Vicente terão, a partir desta sexta-feira, certificados de manobradores de máquinas como retroescavadoras, empilhadeiras, giratórias e gruas móveis que lhes dão a possibilidade de trabalhar na área em Cabo Verde e na União Europeia.

Em declarações à Inforpress, a instrutora da Escola de Condução Boa Formação, Maria Idalina Silva, responsável pelo curso, explicou que se trata de uma formação que acontece pela primeira vez em São Vicente, com o objectivo de certificar oficialmente quem já costuma trabalhar com esses equipamentos.

“Muitos deles aprenderam a profissão, mas não eram certificados profissionalmente, essas profissões e esse tipo de formações em Portugal e Europa em geral são obrigatórios e as empresas não admitem nenhum funcionário que não tenha este certificado válido”, explicou a instrutora.

Segundo a mesma fonte, esta é uma oportunidade de “crescimento” para aqueles que pretendem seguir essa profissão, porque poderão “arranjar trabalho mais facilmente em Cabo Verde”, através de empresas locais, que queiram apostar na “qualidade dos profissionais” ou empresas estrangeiras que estejam no país e “com grandes empreendimentos”.

Segundo Maria Idalina Silva outra valência que este certificado vai dar aos 60 formandos é a oportunidade de trabalhar nos estaleiros de construção civil nos países da União Europeia, principalmente em Portugal que sofre com a falta de mão de obra nessa área.

“Neste momento há um grande défice de mão de obra em Portugal, e na Europa em geral, para este tipo de trabalhos, principalmente para a construção civil e está aqui uma grande oportunidade”, acrescentou a mesma fonte, que espera que as formações possam ajudar a combater o nível de desemprego em Cabo Verde e a falta de mão de obra em Portugal.

“O visto tem sido um problema, agora ultimamente, parece que está mais agilizado e o Governo cabo-verdiano, junto com o de Portugal, tem feito esforços para que a obtenção do visto seja mais ágil e esperamos que continue a melhorar este aspecto. Eles, com o contrato de trabalho rapidamente chegam lá e conseguem”, garantiu a instrutora que afirmou ter ajudado profissionais formados em a obter trabalho nessa área em Portugal.

Apesar de ser a primeira vez em São Vicente, Maria Idalina Silva já realizou 27 formações deste tipo em Cabo Verde para cerca de 700 pessoas.
Grande parte dessas formações, explicou, aconteceram nas ilhas de Santiago e do Sal, onde a sua escola tem instituições parceiras, mas a mesma revelou que tem perspetivas de fazer “investimentos em outros níveis em Cabo Verde”.

CD/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos