São Vicente: 10ª edição do Mindel Summer Jazz será “à altura do que o povo de São Vicente espera” – organização

Mindelo, 25 Jul (Inforpress) – A organização do festival de Jazz do Mindelo, Mindel Summer Jazz, garantiu hoje, em conferência de imprensa, no Mindelo, que a 10ª edição do evento vai estar “à altura do que o povo de São Vicente espera”.

Esta foi a garantia do organizador, Alexandre Novais, que falava a propósito da 10ª edição do festival que acontece nos dias 04 e 05 de Agosto, na Praça do Liceu Velho, e que homenageia a falecida produtora cultural e activista Samira Pereira que foi co-fundadora do Mindel Summer Jazz.

“Dez anos é uma idade que tínhamos de fazer valer. Não foi fácil montar este festival, mas graças a Deus, com o apoio de todos os nossos parceiros e da Câmara Municipal de São Vicente pudemos montar a 10ª edição. Pese embora as dificuldades, penso que vai ser uma edição à altura do que é que o povo de São Vicente espera e digna do 10 aniversário”, afirmou Alexandre Novais, para quem o Mindel Summer Jazz “é um festival para a cidade do Mindelo, para Cabo Verde e para o mundo”.

Este ano, explicou a mesma fonte, o evento vai disponibilizar um leque de actividades gratuitas em diferentes espaços culturais da cidade.

O arranque acontece no dia 01 de Agosto, com “uma instalação artística no Centro Cultural do Mindelo” e, conforme Alexandre Novais, será uma “instalação dinâmica um pouco à imagem de como Samira Pereira funcionava com vários horizontes e sempre em movimento”.

No dia seguinte, terá o MS Júnior ( Mindel Summer Junior), actividade que há três anos faz parte do cartaz do festival, mas que este ano apresenta-se num formato mais completo.

“Vamos aproveitar o novo Centro Nacional de Artesanato e Design e do palco que ele nos oferece na Praça Nova para fazer esta actividade com crianças e famílias e tornar a trazer para praça o ambiente familiar”, esclareceu Alexandre Novais, informando que o encerramento das actividades paralelas será o Alta Lua Jazz Conection, que vai acontecer no pontão da Marina do Mindelo.

Trata-se de uma actividade que terá um “Juzz Doet” com um vocalista-baterista de Portugal. Além disso, acrescentou, haverá dois workshops feitos por dois grupos internacionais que vão participar no festival.

No dia 04, será o arranque dos concertos na Praça do Liceu Velho. O primeiro a pisar o palco será o projecto com Vamar Martins e Carmen Silva, de seguida a banda Preto & Bronk, composta por Kaly Angel, Ivan Medina, Vando Pereira, Buna Lima e Enos David junto com Sandra Horta.

Para terminar, subirá ao palco o “Trio 380º”, uma banda internacional formada por Paco Sery que, segundo a organização, é considerado “um dos melhores bateristas do mundo” e que vai actuar com o baixista Alune Wade e o teclista Cheick Tidiane Seck.

Na sexta-feira, a abertura do Mindel Summer Jazz será com o projecto “Tone Afromix Band”, do guitarrista Roma’s Rodrigues, que levará oito elementos ao palco. Está programado ainda actuação do “Trio Mindelo”, coordenado pelo maestro Bau junto com Kisó Oliveira, Markus Leukel que vão convidar Yannick Almeida, Gabriela Mendes e Bertânea ao palco. E para encerrar haverá um quinteto comandado pelo baixista cubano Alain Pérez.

São nomes que, conforme outro organizador do evento, Vou Monteiro, vão dar “qualidade ao Mindel Summer Jazz”, apesar das “dificuldades e dos dois anos de paragem por causa da pandemia da covid-19”.

Presente da conferência, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, disse que a câmara “abraçou o festival” porque tem sido “sempre uma parceira” que “olha para a ilha de São Vicente” e que “vai lutar pela ilha como a capital da cultura”.

“Tudo aquilo que é cultura corremos atrás, abraçamos e faremos tudo para acontecer, porque a nossa experiência, em São Vicente, tem demonstrado que essa movimentação desta ilha, tudo o que temos feito hoje, a parte económica, tem sido graças à cultura”, frisou o autarca.

CD/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos