São Vicente: 10ª edição do concurso Todo Mundo Canta homenageia Bana

Mindelo, 04 Nov (Inforpress) – A 10ª edição do concurso Todo Mundo Canta que arranca no próximo sábado, 07, na Pracinha do Liceu Velho, em São Vicente, homenageia o falecido cantor cabo-verdiano Bana (Adriano Gonçalves).

Em declarações à Inforpress, o organizador do concurso, Eurico Évora, explicou que, devido à pandemia da covid-19, todas as medidas de segurança sanitárias serão acauteladas mas, lembrou que o Todo Mundo Canta não é um tipo de actividade onde há aglomeração de pessoas porque participa uma faixa etária bastante selecta.

“Por se tratar de um concurso em que não há muita adesão de espectadores e porque vai ser realizado na Pracinha do Liceu Velho acredito que vamos conseguir manter todas as medidas de segurança. Vai ter álcool gel para desinfecção das mãos e as pessoas vão usar máscaras e estarão distanciadas uma das outras”, disse o produtor, para quem homenagear Bana já estava nos planos da organização.

“Por ser um projecto musical, procuramos sempre homenagear um artista que e tínhamos em mente que, quando fizéssemos 10 anos, faríamos algo diferente e faríamos um tributo ao Rei da Morna. Mas devido à situação de pandemia e dificuldades financeiras não conseguimos concretizar o que planeamos”, explicou Eurico Évora.

Na primeira gala que acontece este sábado, vão participar 13 concorrentes e terá um momento teatral com o grupo Juventude em Marcha. A segunda gala está agendada para o dia 28 deste mês e a final acontece a 19 de Dezembro.

Conforme a mesma fonte, um dos objectivos desta 10ª edição é apurar um vencedor para participar, como representante de Cabo Verde, no concurso Todo Mundo Canta Internacional que deveria acontecer em Março 2020, mas foi prorrogado para 24 de Abril, devido à pandemia da covid-19.

Segundo Eurico Évora, vão participar nesta etapa internacional do concurso cabo-verdianos de dez países da Europa (Bélgica, Noruega, Suécia, Portugal, Holanda, Luxemburgo, Itália, França, Cabo Verde e Espanha) e terá a parceria da TV privada Holandesa DRM.

“Estamos a fazê-lo dentro da Europa para termos facilidades de deslocação. Mas, se decorresse conforme planeamos a nossa próxima fase seria introduzir um candidato dos Estados Unidos e do Canadá porque a nossa ideia é dar a possibilidade de participação de toda a diáspora” esclareceu Eurico Évora, que se mostrou esperançoso por “envolver toda a diáspora cabo-verdiana neste concurso, assim que estiverem reunidas as condições financeiras e sanitárias”.

CD/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos