Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Nicolau: Pessoal docente recebe formação em educação inclusiva

Tarrafal de São Nicolau, 23 Nov (Inforpress) – Trinta e cinco professores estiveram reunidos hoje para receber uma acção de formação e capacitação, no âmbito da 2ª fase do processo de sinalização e avaliação de alunos com necessidades educativas especiais (NEE).

A formação destina-se a professores do Pré-escolar, Ensino secundário, Alfabetização de Adultos, com o intuito de estarem na posse de informação adequada para que seja feita sinalização de crianças com NEE, para que haja respostas educativas “eficientes e eficazes”, tendo em conta as suas necessidades e funcionalidades.

À Inforpress, o coordenador da equipa multidisciplinar de apoio à educação inclusiva , João David Gomes, explicou que este ano lectivo entrou um número significativo de professores, desde o pré-escolar ao ensino secundário, daí a necessidade de realizar a segunda fase de formação que se destinou essencialmente a profissionais que estiveram fora do processo, por algum motivo e a professores que entraram agora, relembrando que esta formação já havia sido ministrada no ano lectivo 2018/19.

Esta acção de capacitação vem permitir aos professores nas salas de aula, e muitas vezes em situação de dúvidas, identificar, sinalizar e comunicar a entidade educativa, de forma a se proceder a uma análise para determinar se a criança é portadora de necessidade educativa de carácter temporário ou permanente.

Caso a criança apresentar necessidade educativa especial, de carácter temporário, conforme explicou, há todo um processo a seguir, desde elaboração de relatórios técnico pedagógico à elaboração de Plano de Educativo Individual (PEI), para se reajustarem ao curriculum.

Conforme explicou, a nova lei, que entra em vigor em Dezembro, determina um prazo de 60 dias para que ela seja sinalizada, até se proceder ao processo de Plano de Educativo Individual (PEI).

Aos que se apresentarem carácter permanente, serão indicados outros instrumentos, designadamente, o Curriculum Especifico Individual (CEI) para trazer adaptações, a fim de dar respostas a nível de funcionalidade destas crianças.

Esta manhã, os professores receberam ainda uma formação com recurso ao sistema de Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF), foram socializados o novo decreto-lei que (está em preparação e poderá sair em Dezembro) vem regular todo o sistema de educação inclusiva, bem como abordaram medidas que podem ser adoptadas para superar as dificuldades em sala de aula e uma sensibilização a professores para acolher as crianças com NEE.

Nesta formação, o coordenador chamou atenção para “fraca participação” de professores do pré-escolar nesta iniciativa, pedindo “mais” sensibilidade e envolvência nesta temática.

Segundo o responsável, “quanto mais precoce conseguirmos identificar uma criança com NEE, mais cedo poderemos implementar medidas e mais eficaz se torna o processo de ensino-aprendizagem”.

O processo de sinalização é um sistema onde os professores recolhem informação, junto de pais e encarregados de educação, para fornecer às escolas sobre as dificuldades das crianças em termos de aprendizagem.

Por sua vez, as escolas, através de suas equipas multidisciplinares, analisam quais os procedimentos a ter em conta, caso a criança demonstrar uma necessidade educativa especial de carácter permanente ou temporário.

Em São Nicolau, foram sinalizadas, no ano passado, oito crianças com necessidades educativas especiais e, neste momento, quatro já dispõem do Curriculum Especifico Individual (CEI) elaborado, uma criança com Plano de Educativo Individual (PEI) elaborado, outras seguem em processo de reavaliação, num total de 26 crianças.

DG/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos