São Miguel: PM destaca importância da restauração de patrimónios e fala em tributo a gerações passadas 

Pedra Badejo, 13 Jun (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse hoje que em cada património reconstruído, restaurado e reabilitado se está a prestar tributos a gerações passadas, estabelecendo pontes para as gerações actuais e futuras.

O governante falava no acto de entrega das chaves das capelas de Nossa Senhora Imaculada Conceição, na localidade de Flamengos, e de Nossa Senhora de Socorro, em Achada Pizarra, no município de São Miguel, monumentos do século XVII, que foram reabilitados pelo Governo, em colaboração com a Câmara Municipal de São Miguel e Diocese de Santiago.

“A preservação da nossa herança material e imaterial é algo que o Governo considerou como um dos pilares fundamentais da sua política de cultura, mas da política global”, declarou, destacando a valorização da identidade cabo-verdiana.

Ao seu ver, a entrega destas capelas é um retrato da história, lutas e construção da identidade do País.

“Hoje começamos a cumprir um calendário, que vai alongar-se ao longo dos próximos dias e meses, de entrega de diversas intervenções realizadas e em curso a nível do património religioso, patrimónios da Nação cabo-verdiana, da igreja católica e de todos aqueles dos séculos passados que fizeram o máximo de esforço para que sejamos hoje a Nação que temos orgulho de pertença”, garantiu.

Por sua vez, o cardeal Dom Arlindo Furtado, que se congratula com a reabilitação, assegurou que esta iniciativa tem “grande significado” para a paróquia e diocese, mas também para o município de São Miguel que ficou “mais valorizado”.

“Governo tomou boas medidas porque isso faz bem ao povo e o povo saberá agradecer e dar valor àquilo que temos e que é importante para nós”, transmitiu, acrescentando que se está perante um “momento importante”.

Sobre as ossadas descobertas pelo Instituto do Património Cultural (IPC), Dom Arlindo Furtado, diz que a igreja acompanhou todo o processo e defende que sejam transferidas para lugares apropriados.

O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, afiançou que se está a reforçar a crença do povo cabo-verdiano em si mesmo, mencionando sua identidade, história e seu percurso.

O governante realçou ainda o reconhecimento de um papel “quase umbilical” da igreja católica no nascimento da identidade cabo-verdiana.

Para o presidente da Câmara Municipal de São Miguel, Herménio Fernandes, os patrimónios do seu município estão a ser valorizados, traduzindo em “grandes recursos turísticos e religioso”.

“Com estas reabilitações criamos as condições de facto para promover o turismo de história e memória”, enfatizou.

WM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos