Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Miguel: Centro histórico do Porto de Calheta ganha obras de requalificação urbana

Calheta, 28 Set (Inforpress) – O Centro histórico do Porto de Calheta ganha obras de requalificação urbana, um projecto que visa dar um “novo rosto” ao concelho,  inaugurado quinta-feira pela Câmara Municipal de São Miguel, no interior de Santiago.

Este acto inaugural realizado no Porto de Calheta contou com a presença do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, da ministra das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, do edil de São Miguel, Herménio Fernandes, membros da comunidade, entre várias outras pessoas.

Segundo o edil, esta obra é a mais emblemática que a equipa está a construir e que por isso estão “muito orgulhosos”, porque estão a “dar à cidade uma grande prenda”.

“Temos um espaço que é cartão de visita do município e hoje São Miguel, cidade de Calheta, tem lugar para receber todos os seus visitantes, sobretudo sítios para as pessoas que moram na cidade, um bairro com “mais qualidade de vida” com um espaço de lazer digno”.

Realçou que o “centro histórico e cultural” vai “possibilitar” o desenvolvimento de tudo que é actividade cultural, mas também tem vocação para o comércio, para o turismo e é uma centralidade que investiram toda a “energia” e que contou com “forte” parceria do Governo.

“É uma obra com múltipla valência que comporta uma casa do mar, que é um espaço para pescadores e peixeiras, onde vão receber duas unidades de gelo para apoiar o comércio e outra para apoiar a pesca”.

Disse ainda que é um centro histórico que vai candidatar a “património nacional”, porque tem todas as condições, com uma “boa” iluminação pública, com drenagem de água, com uma nova rede de abastecimento de água e é um espaço que “respira amor e amizade”.

Segundo a edilidade, as ruas inauguradas levam nomes de figuras regionais como rua Januário Lopes, rua Maria Miranda, rua Alírio Vicente e escadaria António katxepa, uma forma “simples” de “perpetuar memórias” e “valorizar o contributo” que essas figuras deram na construção da região e de Cabo Verde.

Por seu torno, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse que é uma “grande obra” porque é um património do município de São Miguel que criou uma nova centralidade, lugar bem trabalhado e “bonito” onde as pessoas vão contar com um espaço de lazer.

Conforme enfatizou Ulisses Correia e Silva, quando se faz uma “boa” obra de requalificação urbana torna-se o lugar “mais atractivo”, onde as pessoas vivem num espaço condigno, onde possam receber visitas e investir.

Acrescentou ainda que tudo isso é contrapartida de todo o “esforço” feito com a parceria com municípios e câmara municipais, no sentido de ter um “bom” programa de requalificação urbana e ambiental.

“E este investimento vai ter um grande retorno social e um grande retorno económico”.

De acordo com o primeiro-ministro, quanto à candidatura a “património cultural”, vai ser analisada e dependerá do Ministério da Cultura.

Para os homenageados, a satisfação é “grande”, pelo facto de o centro histórico de Porto de Calheta ter ganho esses nomes. E pedem a toda a população da zona para a preservar, para “que a rua continue sempre no seu bom estado”.

Esta obra foi co-financiada pelo Governo de Cabo Verde, através dos Fundos do Ambiente e do Turismo, e pela Câmara Municipal de São Miguel.

CL/ZS

Inforpress/ Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos