São Miguel: Autarquia quer colocar o concelho entre os cinco do país com melhores indicadores de bem-estar

 

Calheta, 25 Ago (Inforpress) – O Presidente da Câmara Municipal de São Miguel (ilha de Santiago), Herménio Fernandes, revelou hoje que estão a trabalhar para colocar o concelho de São Miguel entre os cinco com melhores indicadores de bem-estar no país.

Com uma população de 15.648 habitantes, segundo os dados do censo 2010, cerca de 52,16% (por cento) da população vive em alojamento com ligação à rede pública de água e cerca de 50,39% da população dispõe de electricidade como fonte de energia e cerca de 45,90% vive na pobreza.

Diante deste cenário, Herménio Fernandes quer melhorar esses indicadores e para isso disse à Inforpress que estão a investir fortemente na requalificação urbana, no acesso à electricidade, na melhoria de acesso à água, na educação, na formação dos jovens e na promoção do emprego.

“Estamos na média de um município, mas temos que estar entre os cinco melhores em Cabo Verde e, para isso contamos com os jovens de São Miguel para ajudar-nos a construir um município cada vez mais desenvolvido, urbanizado e um município de referência em Cabo Verde”, assegurou.

Indo por partes, disse que neste momento está em curso um projecto de abastecimento de água, em que pretendem ligar todas as famílias com água potável, 24 horas, através da dessalinizadora de Ponta Verde.

“Este ano vamos beneficiar mais quatro localidades, nomeadamente, Pilão Cão, Mato Correia, Espinho Branco e Achada Espinho Branco”, elencou.

A nível de electricidade, o edil informou que, praticamente, todas as zonas estão cobertas com acesso à electricidade, faltando apenas as localidades de Gongon e Aguadinha, pois a de Cutelo Gomes, o projecto está em curso e as obras vão ser executadas dentro de dias.

Sendo que apenas 34,26% dos agregados familiares possuem casas de banho com retrete, informou que vão fazer um “forte investimento” para a construção massiva de casas de banho e para ligação de rede de esgotos em todos os pontos do concelho.

Na educação, assegurou que já estão no processo de reabilitação de todos os jardins infantis, na construção de novos jardins e na reabilitação de algumas escolas, como o polo nº1 de Calheta, o polo de Cutelo Gomes, Veneza e de Monte Bode.

A nível do desporto, fez saber que já reabilitaram o polivalente da cidade e está em curso a reabilitação de outros, em diversos pontos do concelho.

A juventude também consta da agenda da edilidade, com uma aposta na formação, acesso à internet através das praças digitais e nos espaços jovens.

Entretanto, o grande desafio é a promoção do emprego, pois, a população activa ocupada é 38,9%, a população desempregada é de 5,3% e a população inactiva é de 56,5%.

“Estamos a desenvolver políticas para reduzir a pobreza e ao mesmo tempo criar oportunidade de emprego, colocando a população activa a trabalhar, porque acredito que é via criação de riqueza que melhoramos a qualidade de vida dos munícipes e que criamos melhores condições de vida para as nossas populações”, afirmou.

No que concerne à pobreza, que se situa em 45,90%, a meta da autarquia, nos quatro anos, é reduzir em pelo menos 15%, para que possam ter um nível de pobreza à volta de 25%.

“Acredito que vamos conseguir, porque estamos a melhorar acessibilidades, estamos a ajudar as famílias a melhorarem as suas habitações, estamos a levar água para as famílias que não têm rede de esgoto e temos jovens formados e capacitados que têm condições de transformar São Miguel num município com melhores indicadores de qualidade de vida”, sublinhou.

AM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos