São Miguel: Autarquia promove semana para diminuir VBG e “preconceito” sobre questões de género no concelho

Assomada, 21 Jun (Inforpress) – A Câmara Municipal de São Miguel (ilha de Santiago) tem em curso a 1ª Semana Municipal do Género, que visa diminuir a Violência Baseada no Género (VBG) e “preconceito” sobre questões de género, principalmente na camada jovem.

Em declarações à Inforpress, a vereadora do Género, Celiza Alves, disse que as actividades iniciadas na segunda-feira e que terminam esta sexta-feira, 22, sob o lema “Todo género pode mostrar arte de diversidade”, deram prioridade às acções de sensibilização e capacitação sobre questões do género e a problemática da violência e abuso sexual nas crianças e adolescentes.

Segundo ela, as acções de capacitação tiveram como público-alvo as mulheres vendedeiras do mercado e vendedeiras ambulantes, as monitoras dos jardins infantis, crianças e jovens das diferentes localidades.

“A 1ª Semana Municipal do Género tem como objectivo promover e fortalecer o diálogo sobre questões de género e a cultura da não-violência, o empoderamento das mulheres, bem como o respeito pelos direitos humanos dos cidadãos e das cidadãs, independentemente da sua condição, numa perspectiva comparativa”, disse.

A autarca informou ainda que o evento “muito concorrido” culmina esta sexta-feira, com uma palestra sobre “Género vs Profissão” na localidade de Achada Monte, onde nota-se que ainda existem “preconceitos” de que há trabalho para homem e trabalho para mulher.

Explicou ainda que pretendem com esta palestra fazer uma “chamada de atenção” e desconstruir este “preconceito”e mostrar os moradores daquela zona rural e os micaelenses que não existe “trabalho para homem e trabalho para mulher”.

Na ocasião, a mesma fonte informou que o município registou até esta data três casos de VBG, que estão nas mãos da Polícia Nacional, estando o pelouro que dirige a dar acompanhamento a esses três casos registados este ano, lembrando que em 2017 registaram dois casos de VBG ocorridos nas localidades rurais.

Celiza Alves avançou ainda à Inforpress que a edilidade vai erguer ainda no decurso deste ano um Centro de Promoção Feminina (destinado ao empoderamento das mulheres, sobretudo, mães chefes de família), um projecto orçado em 5.000 contos e que conta com apoio de uma ONG francesa.

Ainda a semana em que a edilidade quer “quebrar” vários “preconceitos” sobre as questões do género, ficou marcada por actividades desportivas para crianças tanto para meninas e meninas, com o intuito de mostrar que não há jogo para rapazes e raparigas.

FM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos