São Miguel: Autarca diz que requalificação da orla marítima consolida Calheta como “verdadeira cidade” (c/áudio)

Calheta, São Miguel, 11 Jul (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal de São Miguel, Herménio Fernandes, disse hoje que a requalificação da orla marítima da cidade da Calheta a consolida como uma “verdadeira cidade e não apenas de papel”.

Trata-se, segundo o Governo, de um “grande investimento”, com uma área de intervenção de 25.300 metros quadrados (m²), 1.500 metros (m) de extensão de orla, 590 m de pedonal e 350 m de extensão dos acessos.

As obras, que inicialmente estavam orçadas em cerca de 83 mil contos e que, devido a alterações, passaram a custar cerca de 160 mil contos enquadram-se no Eixo V do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA) do Ministério das Infra-estruturas, do Ordenamento do Território e da Habitação (MIOTH).

Asfaltagem dos acessos à orla marítima, construção de muros de pedra e de órgãos de drenagem, construção de pedonal e ciclovia, de passeios em pedra, execução de rede de iluminação pública, colocação de mobiliário urbano e arborização, bem como a construção de miradouro, de praças e zonas de estadia e implantação de letreiro “São Miguel” são as principais actividades desenvolvidas.

A obra, segundo a mesma fonte, visa melhorar o panorama da cidade, criando condições de segurança, conforto e lazer nas zonas de circulação e estadia de pedestres.

“Hoje é um momento ímpar para São Miguel. Estamos a inaugurar uma obra que volta a cidade de Calheta o rosto para o mar”, declarou o edil micaelense, que destacou o impacto social e económico da referida infra-estrutura, que lembrou ser “fruto de uma boa parceria existente entre o Governo e a câmara municipal.

Do ponto de vista social, destacou o seu impacto para as pessoas, sustentando que a mesma vai ajudar o município e a cidade a se tornarem “sustentáveis e saudáveis” assente na saúde e em melhorias do bem-estar.

Já do ponto de vista económico, considerou o projecto “um grande valor” para este município do interior de Santiago, por estar a ajudá-lo a potenciar as suas potencialidades de uma cidade à beira-mar.

O autarca, que falava hoje no acto da inauguração da obra co-presidido pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e ministra das Infra-estruturas, Eunice Silva, não tem dúvidas de que a mesma vai desenvolver o turismo, o desporto náutico, além de valorizar os investimentos, orgulhar os micaelenses dentro e fora do País, e fazer com que Calheta seja “uma verdadeira cidade e não apenas de papel”.

Por sua vez, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, considerou que hoje foi “um momento e um dia importante” pelo facto de o Governo que lidera estar a concretizar um compromisso, que valoriza este concelho e eleva a auto-estima dos micaelenses.

O chefe do Governo, que lembrou que outrora o lugar era apenas terra e pedras, congratulou-se com o facto de hoje estar “valorizado, bem trabalhado e bonito”, e que vai servir para que a população desfrute de passeios, actividades desportivas, bem como para receber a economia, referindo-se sobretudo aos investimentos dos emigrantes.

FM/HF

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos