São Lourenço dos Órgãos: Carlos Vasconcelos quer continuar a colocar o município no patamar mais elevado do desenvolvimento

João Teves, 16 Nov (Inforpress) – O presidente reeleito da Câmara Municipal de São Lourenço dos Órgãos, Carlos Vasconcelos, investido hoje, comprometeu-se em trabalhar para que o município continue no patamar mais elevado do desenvolvimento e na senda de mais e maiores conquistas.

Perante centenas de cidadãos, no seu discurso na cerimónia de investidura dos novos eleitos para a câmara e assembleias municipais para o mandato 2020-2024, Carlos Vasconcelos, eleito pela lista do MpD nas eleições de 25 de Outubro, pediu a confiança de todos para que juntos possam trabalhar para as “melhores e mais viáveis soluções” que importam a vida dos munícipes.

“Vamos desenvolver todas as iniciativas de boa governança, no sentido de continuarmos na senda do desenvolvimento e progresso do concelho em ordem à felicidade e bem-estar das populações. Pois, com a dinâmica e o esforço das novas intervenções, acreditamos que juntos e unidos [câmara e o Governo] vamos viabilizar novas e grandes conquistas para mais e melhor impacto nas condições de vida das pessoas”, declarou.

Para tal, adiantou que, com base nas suas ambições para aquele município do interior Santiago, o novo executivo municipal vai orientar as suas intervenções nas mais diversas áreas de desenvolvimento.

Para a saúde, informou que vão dar continuidade à política de fomento e prevenção contra a pandemia de covid-19 e protecção contra outras doenças, que vão construir mais dois postos sanitários, em São Jorge e em Montanha, e ainda fomentar a política de cuidadores de saúde e colocar uma ambulância no apoio de transporte de doentes nas zonas altas do município.

Na habitação social, o autarca prometeu para os próximos quatro anos reabilitar mais 450 casas de famílias vulneráveis e construir casas de banho para que 100 por cento (%) das famílias possam ter acesso a este compartimento.

Na economia local anunciou o fomento da criação de 10 a 15 micro-empresas de criação de animais de raças melhoradas para produção de carnes e queijos.

Já para agricultura, reiterou o compromisso de dotar este município agrícola de uma Delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente, apoiar os agricultores no uso das tecnologias modernas do sector.

Prevê-se ainda a mobilização de água para a rega e estabelecer junto do Governo uma quota de utilização de água da barragem de Poilão para os agricultores laurentinos, abastecimento do município com água potável vindo da cidade da Praia, através do concelho de São Domingos e liberação dos furos de João Teves e Laje para os homens do campo em parceria com o Governo.

No domínio da requalificação urbana e saneamento ambiental anunciou a requalificação da cidade de João teves, reabilitação das estradas de Montanha/Fundão/Montanha Abaixo/Palha Carga e Achada Baixa e a criação de uma empresa municipal de saneamento e alargar a recolha do lixo às zonas periféricas do concelho.

Já a nível da governação e reforma administrativas, de entre outras ambições, prometeu elevar São Jorge à categoria de vila, de criar delegações municipais nas zonas altas e de implementar um novo plano de carreiras e cargos nos serviços da câmara.

Na ocasião, prometeu ainda transformar o município num “grande central” de abastecimento de carnes e seus derivados para todo o País em cooperação com a Escola de Transformação de Produtos Alimentares em São Jorge.

No entanto, fez saber que para que o concelho possa alcançar estes e outros objectivos “cruciais do desenvolvimento” vão ter que “alimentar e reforçar” as suas parcerias com o Governo, liderado por Ulisses Correia e Silva.

A este propósito, o ministro Paulo Rocha que, em representação do Governo, testemunhou o acto de investidura dos órgãos municipais eleitos, manifestou a disponibilidade do Governo em continuar a desenvolver “uma boa parceria” instituído nos últimos anos com este e com os demais municípios em prol da melhoria da qualidade de vida das populações.

Relativamente às eleições de 25 de Outubro, o governante disse que as mesmas demostraram uma grande vitalidade democrática em todos os concelhos e com elevada participação dos cidadãos.

O MpD ganhou ao PAICV pela diferença de 600 votos nas eleições para a câmara municipal (conseguindo todos os cinco mandatos) e de 527 votos para a Assembleia Municipal (AM), elegendo sete dos doze deputados, incluindo o presidente reeleito deste órgão deliberativo, Emanuel Borges.

FM/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos