São Filipe: Noite de homenagem a artistas da ilha merece aplausos destes mas com “fria” recepção do público

 

São Filipe, 30 Abr (Inforpress) – A terceira noite de baile no Presídio foi de homenagem aos artistas da ilha do Fogo, que aplaudiram a iniciativa, mas a recepção do público foi “fria”, apesar da tentativa dos artistas para interagir com a plateia.

A noite do dia 29 e madrugada de 30 de Abril foi toda ela preenchida por artistas foguenses, quase todos radicados no exterior, como Francisca, Ana Lopes, Neusa, Assol, Jorge e Nény Sena, Quirino do Canto, Magma Sound e Jota Grande, ficando de fora o grupo Passadinha/Augusto Cego, por causa do luto de um dos elementos do Passadinha.

Durante as actuações, alguma das quais aconteceram quando a praça do Presídio ainda estava “deserta”, todos deram o máximo para fazer vibrar a plateia, quer pedindo aplausos como solicitando a participação, mas quase sempre sem muita envolvência do público que continuava apática.

Jorge Sena, por exemplo que fez vibrar um pouco o Presídio deu o seu aval positivo e parabenizou a edilidade de São Filipe pela realização da noite de artistas do Fogo, indicando que na celebração dos 100 anos do desenterro da bandeira seria mais bonito se o outros artistas da ilha pudessem também participar.

“Estou de acordo com esta iniciativa porque a ilha precisa dar oportunidade a todos os seus artistas e aos muitos valores que se despontam”, disse Jorge Sena, observando que o público do Fogo precisa ter mais ânimo e vibrar mais com os artistas porque, segundo explicou, são a “alma do espectáculo”.

Jorge Sena disse que está a projectar um novo trabalho, já que “Sena de Ouro” tem uns quatro anos, adiantando que está na fase de recolha para que o próximo trabalho esteja no mercado quando comemorar os 25 anos de carreira, que não falta muito.

Quirino do Canto, natural de Galinheiro e residente nos Estados Unidos da América, que participa pela segunda vez nas festas do1º de Maio, assim como os demais artistas mostrou-se satisfeito com a iniciativa.

A quarta noite e baile no Presídio conta com actuações do grupo Bocarron e Zé Delgado, na primeira fase que antecede a queima de fogo-de-artifício, seguido de Cabo Verde Show, Djodje e Tabanka Jazz, que fecha a quarta noite/madrugada de baile.

Para este domingo, o programa prevê excursões para Chã das Caldeiras com escalada ao Pico principal, e ao Santuário de Nossa Senhora do Socorro, homenagem a várias figuras ligadas à bandeira no último século, os resgatadores e os continuadores da bandeira, desde o Grupo Sete-Estrelo que desenterrou em 1917 a bandeira, tamboreiros, coladeras, organizadores, padres, envolvidos na festa.

Do programa consta ainda o lançamento do livro de Casimiro de Pina, final do torneio de futebol com os jogos, Académica da Brava – Académica do Fogo e Vulcânico – Desportivo de Curral Grande, cerimónia religiosa na Igreja com preparação de procissão de São Filipe acompanhado de luminárias no adro da Igreja Matriz.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos