São Filipe: Jorge Nogueira acusa elementos do PAICV de incentivar criadores a trazerem animais mortos para frente da câmara

São Filipe, 03 Jun (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal de São Filipe, Jorge Nogueira, afirmou hoje que os criadores de gado foram incentivados por elementos do PAICV para trazerem os animais mortos pelos cães vadios para a frente do edifício da câmara.

Jorge Nogueira reagia, em conferência de imprensa, ao posicionamento da Comissão Política Regional do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição), que condenou o “silêncio e a passividade” das autoridades em relação aos cães vadios.

“O PAICV não se importa com a desgraça dos outros para fazer política e, neste sentido, elementos do PAICV, quando ouviram a noticia deslocaram-se à localidade de Jardim e incentivaram os infelizes criadores a trazerem os animais mortos para a frente da câmara, embora soubessem que era um sábado e que o serviço não funcionava”, referiu o autarca, sublinhando que o objectivo era ganhar pontos, alarmar e criar um alvoroço.

Jorge Nogueira indicou que “a dor do PAICV é a câmara de São Filipe que perderam nas últimas eleições”, observando que este partido “nunca irá esconder o ódio contra a sua pessoa” e que jamais irão perdoá-lo pelo feito.

“É uma forma vergonhosa de fazer política, com mentiras e imiscuindo na vida privada só para tirar dividendos políticos. É comportamento de gente sem carácter”, destacou o autarca para quem este partido está em desespero e já lá vão três anos de choro sem consolação por causa da derrota sofrida.

O presidente da autarquia de São Filipe avançou que todos a nível da ilha sabem como este partido vai comportar até as eleições autárquicas, observando que podem “escolher o jogo que quiserem jogar, adoptar a postura que quiserem” porque ele está preparado para todos os cenários.

Jorge Nogueira lembrou que não teve medo na altura da ditadura e do regime do partido único, que deu combate durante 15 anos no Parlamento e não é agora que está na situação que se vai amedrontar.

Este reconheceu que há, de facto, uma grande proliferação de cães vadios no município de São Filipe, na ilha e no país e que mecanismos de combate estão a ser solucionados, salientando que nas últimas semanas realizou uma série de encontros com criadores de várias localidades para algum consenso sobre medidas e apoios que a câmara tinha previsto para criadores e a problemática dos cães vadios.

Nogueira lembrou ainda que sempre houve ocorrência de ataques dos animais por parte dos cães vadios que ganhou maior expressão nos últimos tempos com a morte de um número significativo de cabeças e com prejuízos para os criadores, embora em menor número do que o anunciado pelo PAICV.

O autarca afirmou que se deslocou a Chã das Caldeiras por volta das 17:00 de sábado, não para fugir dos criadores, mas para participar num evento, realizado com poucas pessoas, cujo objectivo era de promoção de turismo interno e rural que os operadores estão a promover, sublinhando que continuará a participar nas actividades do género.

Jorge Nogueira afirmou que o primeiro-secretário do sector do PAICV em São Filipe, Euclides Fernandes, é “um jovem que quer aparecer a qualquer preço”, mesmo recorrendo a mentiras e ofensas, tendo aconselhado o político a ser mais humilde para poder atingir o que pretende.

Ao membro da CPR do PAICV, Manuel da Luz Alves, o autarca pediu para ter prudência e a reservar os seus conselhos para ele e para os seus, lembrando-lhe que foi vereador vários anos e que o seu legado é conhecido por todos.

Jorge Nogueira afirmou ainda que na qualidade de gestor do Soldifogo a sua actuação tem sido marcado pelo “aproveitamento político nojento”, seleccionando e atribuindo créditos para amigos e camaradas, mesmo quando o financiamento tinha outro destinatário e, por isso, não tem autoridade moral para apregoar moralidade.

JR/HF/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos