São Filipe: Formação de bombeiros surge da necessidade de ter maior número de voluntários e mais bem capacitados – vereador

São Filipe, 25 Jul Inforpress) – A formação de bombeiros voluntários de São Filipe que hoje teve o seu início surgiu da necessidade de ter no município bombeiros em maior número e melhor formados, disse o vereador pela área de protecção civil, Euclides Fernandes.

Na cerimónia de abertura da formação, que conta com um total de 24 elementos seleccionados entre mais de sete dezenas, incluindo a maioria dos 12 integrantes do corpo de bombeiro voluntário, o vereador lembrou que tem havido muitas ocorrências que necessitam de intervenção de bombeiros, mas que muitas vezes se depara com “pouco pessoal disponível” para responder a demanda.

É da necessidade de se ter maior número de pessoas possíveis e com conhecimentos na área de protecção civil para dar melhor respostas que a câmara de São Filipe, em parceria com o Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) está a promover esta formação com duração de 195 horas e que decorrerá até o dia 19 de Agosto.

“Este número é ainda insuficiente para a cobertura no município de São Filipe dada a sua dimensão e os riscos eminentes, mas a câmara está a dar um passo importante para no futuro ter pessoas capacitadas para dar respostas à situação de emergência”, disse o vereador, lembrando que a durante a formação serão ministrados sete módulos, por igual número de formadores.

O comandante nacional de Bombeiros, João Olímpio Mendes, destacou na cerimónia de abertura a parceria entre o SNPCB e a câmara de São Filipe para materializar esta formação, assim como das Forças Armadas e do Comando dos Bombeiros da Praia, que se prontificaram em disponibilizar os formadores.

Segundo o responsável, as instituições trabalharam de forma articulada para promover esta formação, observando que ultimamente com crise pandémica e alterações climáticas, as necessidades e responsabilidades de bombeiros aumentou cada vez mais, mas também a responsabilidade da câmara municipal tem aumentado quer em termos de formação do corpo de bombeiros e no reforço das acções de formação.

“A formação está dividida em sete módulos”, disse o comandante nacional dos bombeiros, observando que acções de formação do género na ilha do Fogo justifica-se devido aos riscos que existem, desde desastre natural devido a existência de um vulcão activo, passando pelas várias questões relacionadas com acidentes de viação, incêndios florestais, o que demonstra a necessidade de aumento e de reforço de elementos para corporação de bombeiros.

O objectivo da formação, no dizer de João Olímpio Mendes, é ter “jovens bombeiros bem capacitados e confiantes nas suas acções” para quando forem chamados para que os munícipes de São Filipe possam ter confiança de que estão bem preparados e capazes de dar boas respostas.

Introdução ao serviço de bombeiros/fenomenologia de combustão, equipamentos, manobras e veículos, primeiros socorros e suporte básico de vida, extinção de incêndios urbanos e florestais, técnicas de desencarceramento, salvamento em grande ângulo e educação física, são os módulos da formação.

JR/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos