Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Filipe: Festas da bandeira e do dia do município apenas com actividades que não aglomeram grande número de pessoas

São Filipe, 27 Fev (Inforpress) – A edição deste ano das festividades da bandeira e do dia do município será realizada apenas com actividades que não aglomeram grande número de pessoas em virtude da pandemia de covid-19.

Esta é a decisão saúda do encontro realizado sexta-feira na cidade de São Filipe entre a organização do evento e as autoridades sanitária, policial e religiosa para equacionar a possibilidade da realização das festividades este ano.

O representante da Casa das Bandeiras, Henrique Pires, na qualidade de porta-voz da reunião, disse hoje que o encontrou foi animado e com os participantes a defenderem a mesma posição, nomeadamente de que ainda não existem condições para “fazer grandes festas, porque a saúde é primeiro de que as festas”.

O porta-voz indicou que tendo em conta que a festa da bandeira de São Filipe e do dia do município tem um nome, entendeu-se que não se pode deixar de fazer nada para assinalar esta tradição.

“Tudo o que tem a ver com aglomeração de pessoas não será realizado, como pilão, corrida de cavalos, futebol, baile, grande almoço”, disse o porta-voz, sublinhando que em relação ao almoço ficou decidido que o mesmo será para os tamboreiros e coladeras, com aproximadamente 40 pessoas mais o staff de trabalho, destacando que a Casa das Bandeiras tem espaços para colocar três a quatro pessoas por mesa para evitar ajuntamento.

“Não queremos ter problemas e que depois venham dizer que foi a festa que trouxe mais casos da doença”, referiu o porta-voz, sublinhando que a festa deste ano terá a duração de três dias e decorrerá do dia 29 de Abril a 01 de Maio.

Assim, está programada a celebração da missa e a organização está a preparar para procissão, caso o trabalho de requalificação, nas ruas por onde passa a procissão, estiver concluído por altura das festividades.

A procissão terá pouca gente e o santo padroeiro será transportado numa viatura, à semelhança do que aconteceu por altura da celebração de Nossa Senhora da conceição.

Com relação à passagem da bandeira para novo festeiro para 2022, não obstante a necessidade de realização ainda de vários encontros com o festeiro e com organização, Henrique Pires disse que “em princípio a bandeira será passada para outro festeiro”.

“No próximo ano, no mês de Julho (22) comemora-se o centenário da cidade de São Filipe e, em princípio, tudo indica que quem deve ser o festeiro será a Câmara Municipal”, advogou o Henrique Pires, destacando que ainda não há uma decisão certa que será câmara.

Indicou que tudo aponta para que seja a autarquia para assim poder celebrar a festa de São Filipe e do dia do município, em conjunto com o centenário da cidade, referindo que caso isso venha a confirmar a passagem da bandeira, excepcionalmente, vai acontecer na Casa das Bandeiras e não no Alto São Pedro, sítio tradicionalmente onde se dá a passagem há mais de 100 anos, para evitar a aglomeração de pessoas.

Do encontrou saiu também a decisão de que a câmara irá elaborar um esboço do programa mínimo que será analisado previamente pelos parceiros.

A bandeira de São Filipe e o dia do município, habitualmente são assinalados na última semana de Abril a primeiro de Maio, com um leque variado de actividades desportivas, culturais, recreativos e religiosas e que movimentam grande número de pessoas, com destaque para emigrantes e foguenses radicados nas outras ilhas.

No ano passado, devido a pandemia, as festividades não tiveram lugar depois de mais de 100 anos consecutivos, em virtude da pandemia da covid-19.

JR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos