Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Filipe: Artista plástico cabo-verdiano em “Walt Disney World”, EUA, quer abrir seu ateliê em Cabo Verde

 

São Filipe, 30 Abr (Inforpress) – O artista plástico José Pereira, “Djudjé” emigrante cabo-verdiano nos Estados Unidos da América, onde exerce o ofício no Walt Disney World, em Orlando, Florida, pretende abrir o seu próprio “ateliê” em Cabo Verde, proximamente.

Considerado criador de referência no campo de expressão artístico cabo-verdiano, Djudjé avançou este propósito como seu grande desafio, em entrevista à Inforpress, por entender ser necessário partilhar o seu conhecimento com a nova geração.

Expõe pelo oitavo ano consecutivo na “Casa das Bandeiras”, sempre por altura das festividades de São Filipe e da tradicional Festa da Bandeira, e este ano com particularidade de estar a ser comemorado o centenário do seu desenterro, Djudjé apresenta uma nova exposição centralizada no historial de Chã das Caldeiras.

O imponente vulcão afigura-se como a imagem de marca deste artista que a partir deste consegue exprimir a história das gentes de Chã, marcada pela produção de produtos que vão do café á uva, vinho e fenómenos naturais como as lavas.

Uma homenagem aos tamboreiros, cavaleiros, coladeras, e demais intervenientes ligados à Festa da Bandeira e que são retratados nesta autêntica obra de arte, para Djudjé foi uma “tentação irresistível” para colorir o centenário do desenterro da Bandeira.

A mostra, de acordo com o seu criador, consiste em 13 quadros confeccionados, essencialmente, à base de esferovite e tintas, de entre produtos reciclados, quase sempre encontrado na ilha do Fogo, sua terra natal.

Para este artista que se define como um exímio defensor da cultura da sua terra, Cabo Verde tem talentos, mas carece de uma escola de formação, capaz de direccionar os mais jovens, sobretudo as crianças, para o mundo artístico.

Da exposição, considera ter estado a superar todas as expectativas, já que está a ser marcado por uma grande procura, quer por parte das instituições, quer de individualidades diversas, nacionais ou estrangeiras.

Djudjé não esconde a sua alegria e afirma que a maioria das suas obras expostas nesta exposição já foi vendida, pelo que se sente que tem estado a contribuir para valorizar a cultura cabo-verdiana, através da sua divulgação expressiva nesta festa que é considerada a maior manifestação cultura de Cabo Verde.

SR/FP

Inforpress/Fim

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos