São Filipe: Casa das Bandeiras faz balanço positivo da celebração do centenário do desenterro da Bandeira

 

São Filipe, 02 Mai (Inforpress) – O administrador da Casa das Bandeiras, Henrique Pires, considerou que a celebração do centenário do desenterro da Bandeira de São Filipe, decorreu como programado, apesar de alguns percalços com os cavaleiros.

Em declarações à Inforpress, Henrique Pires disse que a organização das actividades festivas da Bandeira de São Filipe de correu na normalidade, destacando apenas a ocorrência de um problema com os cavaleiros que, segundo o responsável, tornaram-se profissionais e não participam por amor nas actividades da Bandeira.

Explicou que no dia 01 de Maio apenas um cavaleiro compareceu nas instalações da Casa das Bandeiras para conduzir a bandeira à Igreja, quando a regra impõe que todos que participam na prova de hipismo devem participar nas outras actividades, incluindo a condução da bandeira à Igreja e nas cavalhadas.

Henrique Pires afirmou que vai analisar esta questão com a edilidade de São Filipe, entidade organizadora da corrida de cavalos para encontrar mecanismos de penalização dos cavaleiros e proprietários dos cavalos que não participam nas demais actividades.

Adiantou que a Casa das Bandeiras mandou confeccionar o traje para os cavaleiros e que durante uma semana assegurou alimentação dos cavaleiros e por isso não entendem o posicionamento dos mesmos.

Questionado se estes pretendem obter alguma compensação para participar nas actividades do ritual da Bandeira, Henrique Pires disse que num encontro com cavaleiros e proprietários ficou isso no ar, mas que na ocasião a Casa das Bandeiras fez saber que não ia alinhar nesta direcção.

Para evitar situações do género, a Casa das Bandeiras vai lançar, junto dos patrocinadores da festa, uma campanha visando a aquisição de pelo menos quatro cavalos que serão utilizados apenas para as actividades da Bandeira, indicando que vai, após a aquisição, recrutar e preparar os cavaleiros para esta finalidade.

Além deste pequeno percalço, que depois foi corrigido com alguns cavalos a participar na procissão, a festa do centenário do desenterro da Bandeira, que trouxe muita gente à ilha do Fogo, o maior número de sempre, decorreu na normalidade e todas as actividades programadas pela Casa das Bandeiras foram realizadas.

Este ano, apenas quatro dos 12 cavalos que participaram na corrida estiveram envolvidos nas cavalhadas no Alto de São Pedro.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos