São Domingos: Segunda fase do projecto de reabilitação arrancou e contempla cerca de 30 habitações

Cidade da Praia, 03 Ago (Inforpress) – A segunda fase do projecto de reabilitação de moradias no município de São Domingos já arrancou e vai contemplar cerca de 30 famílias de diferentes localidades em situação de vulnerabilidade, soube a Inforpress junto da autarquia.

O projecto, segundo o vereador do Planeamento e Infraestruturas da Câmara Municipal de São Domingos, Edmilson Almeida, compreende, especialmente, em substituir as coberturas degradadas das referidas casas e a construção de instalações sanitárias.

A reabilitação das moradias insere-se no âmbito do contrato-programa assinado entre a edilidade sandominguense e o Ministério das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação.

O projecto, que inicialmente estava orçado em 36 mil contos, está enquadrado no contrato programa PRRA [Programa de Reabilitação Requalificação e Acessibilidades] de 2019, que engloba a requalificação urbana e habitação.

Segundo Edmilson Almeida, o mesmo não foi executado antes por ter coincidido com a altura da covid-19, que fez com que a verba não fosse desembolsada.

Foi após a autarquia de São Domingos, através da Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde (ANMCV), recorrer ao empréstimo obrigacionista junto da Bolsa de Valores que está a ser possível reabilitar estas casas, conforme contou o vereador.

“O orçamento para requalificação de 66 habitações ronda os 19 mil contos, já tínhamos entregue cerca de 20 casas no final do ano passado e agora vamos contemplar as restantes, com previsão de término de três a quatro meses, para fechar o projecto”, adiantou.

Com estes trabalhos, segundo Edmilson Almeida, a Câmara Municipal de São Domingos pretende dotar as famílias do concelho de melhores condições de habitabilidade dando-lhes mais autoestima, mais segurança dentro das suas casas, tendo em conta que muitas delas vivem com idosos, debaixo de tectos a caírem.

“Desde o início do nosso mandato temos estado a receber pessoas em audiência, temos a nossa base de dados de carência habitacional, temos estado a basear ainda em cadastro social, vamos ao terreno para fazer levantamento socio-económico e até contratamos empreiteiros locais de modo a dar um rendimento as pessoas locais”, precisou.

ET/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos