São Domingos: Às vésperas da festa de Cinzas vendedeiras registam fraco movimento na venda dos produtos (c/áudio)

São Domingos, 04 Mar (Inforpress) – As vendedeiras do mercado de São Domingos, na ilha de Santiago, lamentam a fraca procura dos produtos nas vésperas da festa de Cinzas, que se celebra na quarta-feira, mas esperam que o cenário melhore nas próximas horas.

A festa de Cinzas é uma tradição da ilha de Santiago, que anualmente, nesta época, regista-se a comercialização de produtos como mel, xerém, peixe seco e produtos agrícolas para a confecção do famoso almoço de cinzas, comemorado nos diferentes pontos da ilha.

No concelho de São Domingos, em conversa com a Inforpress, as vendedeiras do mercado municipal foram unânimes em afirmar que este ano os produtos agrícolas estão mais caros comparativamente ao ano transacto.

Segundo Luciene Cardoso, vendedeira há vários anos no mercado, a mandioca e batata doce são os produtos que têm o preço mais elevado, justificando que este aumento se deve ao mau ano agrícola registado no ano passado.

“As pessoas têm perguntado pelos preços, mas ainda não tem havido muita procura. Em relação ao ano passado quase todos os produtos estão mais caros”, disse, salientando por outro lado, que em compensação, o preço do peixe seco este ano está mais barato, registando o valor de 800 escudos por quilo.

Por seu turno, a vendedeira Rosa Lima disse que espera que a partir de terça-feira o cenário melhore, sublinhando, no entanto, que, normalmente as pessoas fazem as compras praticamente um dia antes da festa de Cinzas.

“Temos todos os produtos necessários para a confecção do almoço de cinzas, mas ainda não vendemos muito. Tenho os meus fregueses que habitualmente me procuram e sei que amanhã estarão cá porque a situação está difícil, mas todos quererão celebrar esse dia de uma melhor forma”, realçou.

Quem também acredita que nas próximas horas haverá um aumento na venda dos produtos é a vendedeira Edna Fonseca, que considerou a festa de Cinzas como “uma das celebrações importantes da ilha de Santiago”.

“Temos muitos produtos mas há pouca saída porque as pessoas estão a queixar da falta do dinheiro e trabalho. A festa de Cinzas é uma das celebrações que mais marcam a nossa ilha, sabemos das dificuldades, mas o importante é estarmos em família, termos o nosso almoço e comermos cuscuz com mel”, destacou.

CM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos