Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Domingos/27 anos: MpD realça os ganhos PAICV afirma que o município devia estar num outro patamar

Cidade da Praia, 13 Mar (Inforpress) – O líder bancada do MpD na Assembleia Municipal de São Domingos, realçou hoje os ganhos conseguidos nos 27 anos da criação do município, enquanto o seu adversário, do PAICV, considerou que o concelho merecia estar num outro patamar.

Admilson Moniz do MpD que discursava na sessão solene comemorativa dos 27 anos da criação do município que, até Outubro de 2020 era governado pelo seu partido, pediu uma governação de continuidade à nova equipa liderada pelo PAICV.

Pois salientou que durante os 27 anos foram realizados projectos importantes com impactos directos na melhoria da qualidade de vida das pessoas.

“Nas autárquicas de 2020 o MpD apresentou um projecto de continuidade com o intuito de consolidar os projectos que visam dar respostas às necessidades dos munícipes, com impactos directos na melhoria da qualidade de vida das pessoas. Portanto espera-se que este mandado, liderado pelo autarca Isaías Varela não deixe de ser também de continuidade”, disse

O líder da bancada do MpD disse estar ciente de que a conjuntura é difícil, mas salientou que há um governo amigo dos municípios, pelo que a nova equipa agora liderada pelo PAICV, pode muito bem continuar a aproveitar as oportunidades para desenvolver grandes projectos para São Domingos.

Admilson Moniz aproveitou, entretanto, para denunciar aquilo que considera ameaças e perseguição e despedimento dos trabalhadores, para dar lugar à contratação de pessoas que trabalharam com a candidatura do PAICV na campanha eleitoral para as eleições de 25 de Outubro.

Ao usar da palavra o líder da bancada municipal do PAICV (maioria), Ulisses Borges, disse que não há dúvidas de que valeu a pena a criação do município de São Domingos, a 13 de Março de 1994, mas salientou que o concelho devia e merecia estar num outro patamar.

Ulisses Borges apontou sectores nomeadamente as infra-estruturas e o ordenamento do território, saúde, agricultura e pescas, economia marítima, sector da inclusão social e solidariedade social, juventude e desporto e a cultura para mostrar que não houve a implementação de uma agenda de desenvolvimento nos 27 anos da criação do município.

“São Domingos continua a ser um município muito encravado, pois carece de projectos de intervenção tais como manutenção e até construção de longas vias de acesso, arruamentos e uma rigorosa gestão dos terrenos municipais”, sustentou.

A nível dos serviços básicos frisou que o concelho dispõe apenas de dois médicos para cerca de 15 mil habitantes, que o hospital não dispõe de uma ambulância e o serviço de protecção civil carece de recursos humanos capacitados e equipamentos.

Na agricultura afirma que a situação é gritante e na área de economia marítima indicou que os desafios são enormes.

A nível da inclusão e solidariedade social sublinhou que faltou sensibilidade e pragmatismo na definição de políticas para fazer face aos anseios dos mais desfavorecidos.

Contudo salientou que a vitória do PAICV, nas últimas eleições autárquicas trouxe esperança para São Domingos, indicando que em apenas quatro meses de actividades a nova equipa já deu prova de que vai fazer diferente.

“Pela forma inovadora de gestão municipal que está a implementar, isto é, transparente, participativo, de proximidade com os municípios e por ter demonstrado uma enorme sensibilidade às questões de cariz sociais, acreditamos que assim será” sustentou.

Durante a sessão, que foi presidida pelo Presidente da República Jorge Carlos Fonseca, discursaram ainda o presidente da Câmara Municipal, Isaías Varela, e a presidente da Assembleia Municipal, Felismina Moreno.

MJB/HF

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos