Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santo Antão/seca: Planalto Leste consegue ainda “aguentar” dificuldades com alguma produção de feijões

 

Porto Novo, 15 Nov (Inforpresss) – Muitas famílias no Planalto Leste de Santo Antão conseguiram, este ano, alguma produção de feijões, facto que lhes tem permitido, para já, “aguentar” as dificuldades decorrentes do mau ano agrícola e da seca, nesta ilha.

As chuvas ocorridas em Agosto acabaram por contribuir para alguma produção de feijões, sobretudo da ervilha, no Planalto Leste de Santo Antão, o que tem amenizado as adversidades por que passam as famílias neste ano de seca, conforme os agricultores, abordados pela Inforpress.

“Tivemos alguma produção de feijões , mas já está a acabar”, disse Maria Sousa, em Lombo Figueira, reconhecendo que as famílias no Planalto Leste ainda têm podido “aguentar” as dificuldades decorrentes da seca, com a venda de “algum feijão”.

Os agricultores dizem estar a conseguir vender, localmente, um litro de feijões por 250 escudos, obtendo, assim, algum rendimento para ir “desenrascando” até que o plano de urgência para a mitigação da seca, anunciado pelo Governo, chegue a Santo Antão.

A Inforpress esteve no Planalto Leste e pôde constatar que, ao contrario do que acontece nas zonas altas do Porto Novo (Norte e Sul), onde as populações passam por dias difíceis, no Planalto Leste as famílias ainda vão conseguindo “fintar” os efeitos do mau ano agrícola, graças à alguma produção de feijões e à existência, igualmente, de alguma disponibilidade de pasto para os animais.

Nessa localidade, a principal dificuldade que, nesta altura, se coloca às famílias prende-se com a escassez de água para consumo e para o gado, situação que deverá ficar resolvida, a partir ainda deste mês de Novembro, com a inauguração do projecto de abastecimento de água do Planalto Leste, financiado no quadro do II Compacto do MCA.

Já no Planalto Norte, onde as populações dependem, também, da agricultura de sequeiro e da pecuária, a situação, considerada “dramática”, pelas autoridades municipais, é marcada pela ausência total da produção agrícola, de pasto e de água.

O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) reconhece que Planalto Norte do Porto Novo é a localidade mais afectada pela seca em toda a lha de Santo Antão.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos