Santo Antão: “Raízes” chega ao fim após três anos a “qualificar e potenciar” o turismo sustentável na ilha

Porto Novo, 21 Nov  (Inforpress) – A Associação para a Defesa do Património de Mértola (Portugal) anunciou, sexta-feira, 20, o término do projecto Redes Locais para o Turismo Sustentável e Inclusivo (Raízes) de Santo Antão, que vinha sendo implementado desde 2017.

“Passados três anos de trabalho intensivo, chegou o momento de fazer o balanço dos resultados obtidos e dos desafios que continuarão para além do término de “Raízes”, o qual chegará ao fim em Dezembro de 2020”, informou a associação portuguesa, promotora deste projecto.

A sessão de encerramento oficial do projecto, que vinha sendo executado em Santo Antão, desde 2017, está prevista para o dia 30 do corrente, de acordo com uma nota da Associação para a Defesa do Património de Mértola.

Qualificar e potenciar o turismo sustentável em Santo Antão foi um dos objectivos do projecto “Raízes”,  que teve um orçamento global de 660 mil euros, sendo 75 por cento (%) financiado pela União Europeia e os restantes 25% por outros parceiros.

O projecto contemplou o mapeamento do património natural e cultural de Santo Antão, a melhoria dos caminhos vicinais, além da capacitação dos artesãos, empresários e associações locais.

Foram criadas e sinalizadas seis rotas turísticas em toda a ilha e criado o doutoramento em turismo, numa parceria com o Instituto Superior das Ciências Econômicas e Empresariais  (ISCEE) e da Universidade do Algarve (Portugal), além de formação de agentes de desenvolvimento turístico.

A criação de centros de turismo e de  interpretação turística em todos os concelhos da ilha e de um portal sobre o turismo em Santo Antão, bem como a concepção do selo de origem para os produtos e serviços locais  foram outros propósitos deste projecto.

JM/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos