Santo Antão: Presidente da UCID defende que se declare Planalto Norte do Porto novo como “zona de calamidade” (c/áudio)

Porto Novo, 25 Jan (Inforpress) – O presidente da União cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), pediu, hoje, ao Governo que declare, “rapidamente”, o Planalto Norte do Porto Novo “zona de calamidade”, pela “terrível situação de seca” que essa localidade enfrenta, há dois anos.

António Monteiro, que falava à imprensa, no Porto Novo, no final de uma ao Planalto Norte, informou que, pelo que viu e ouviu das pessoas, “a situação é extremamente grave” e que “já era altura do Governo ter tomado uma posição relativamente às famílias” dessa localidade que, “infelizmente, dependem das chuvas”.

Daí, a decisão do líder da UCID, também deputado nacional, exigir ao Governo para, “rapidamente”, declarar o Planalto Norte do Porto Novo “zona de calamidade”, para que a mesma “seja levado em linha de conta” e, “acima de tudo, encontrar as soluções possíveis para ajudar a revolver o problema” das comunidades.

“O problema, do nosso ponto de vista, é grave e terrível. As famílias precisam ter rendimentos, o ganha-pão de cada dia, mas, infelizmente, com essa falta de chuva, agravada pela situação do ano anterior, entendemos que já era o momento de o Governo ter na prática um programa para ajudar essas pessoas, o que, infelizmente, ainda não aconteceu”, sublinhou Antonino Monteiro.

Ao pedir ao Governo que considere Planalto Norte do Porto Novo “zona de calamidade, devido à situação de seca, que enfrenta nos últimos anos, o presidente da UCID disse propor a criação de condições para o reforço do abastecimento de água às populações e a criação de emprego para que as pessoas tenham rendimentos.

António Monteiro propôs ainda a instalação de um projecto-piloto de produção de pasto nessa zona, explicando que existem, actualmente, tecnologias que permitem, mesmo em conduções adversas, produzir forragem para os animais.

Este responsável entende, também, que Lagoa de Planalto Leste de Santo Antão, a atravessar, igualmente, “uma situação grave”, por causa da seca, deve ser considerada “zona de calamidade”.

As péssimas condições da estrada de acesso ao Planalto Norte, a falta de energia eléctrica em Chã de Feijoal e a falta de iluminação pública constituem outras preocupações constatadas por António Monteiro, na sua deslocação à zona Norte do Porto Novo, que marcou o início de uma visita de três dias do líder da UCID a Santo Antão.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos