Santo Antão/Planalto Leste: Plano de recuperação do perímetro florestal entra no terceiro ano de execução

Porto Novo, 26 Jul (Inforpress) – O plano de recuperação da floresta do Planalto Leste, em Santo Antão, alvo, há três anos, de um incêndio de grandes proporções, que consumiu 200 hectares da reserva florestal, entra no seu terceiro ano de implementação.

O plano, com duração de cinco anos, começou a ser implementado em 2019, prevendo-se a sua conclusão para 2023, com a realização de investimentos à volta de 30 mil contos na recuperação da floresta, que consiste, entre outras acções, na preparação dos terrenos, produção de plantas, reflorestação, limpeza da floresta, capacitação de guardas florestais.

Neste âmbito, foi concluída, na semana passada, a formação dos 32 guardas florestais do Planalto Leste sobre a lei florestal, que teve como propósito actualizar os conhecimentos desses profissionais, com vista a uma “melhor conservação da floresta”, explicou o delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente, Orlando Jesus.

Entretanto, o plano de recuperação da área ardida da floresta, aprovada em 2018, recomenda a revisão da lei florestal datada de 1928, com uma actualização em 1989.

O plano tem contado com o envolvimento das associações do Planalto Leste, que estão a produzir plantas para a reflorestação, segundo a presidente da associação das mulheres desse planalto, Josefa Sousa, explicando que esta associação, no âmbito de um contrato com o Ministério da Agricultura e Ambiente, já produziu quatro mil plantas, para o efeito.

O perímetro florestal do Planalto Leste tem sido fustigado, desde 1994, com vários incêndios, sendo o maior de todos deflagrado em Julho de 2018, que ardeu 200 hectares da floresta, área correspondente a 13 por cento (%) deste perímetro florestal.

Esta floresta, considerada o “pulmão” de Santo Antão, com 1.600 hectares de extensão, foi declarada reserva florestal em 1990.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos