Santo Antão:  Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo voltam a reclamar investimentos prometidos pelo Governo

Porto Novo, 18 Mar (Inforpress) – Os pescadores do Tarrafal de Monte Trigo, em Santo Antão, voltam a insistir na necessidade de o Governo avançar com os investimentos prometidos em 2019 no sector das pescas nessa comunidade, que passa por “dias difíceis”.

O Governo tinha prometido realizar, no decurso do ano transacto, um projecto integrado no Tarrafal de Monte Trigo, à volta de 200 mil contos, com incidência nas pescas, investimentos que, no entender dos pescadores, tardam a chegar a essa localidade.

A Associação dos Pescadores no Tarrafal de Monte Trigo destaca como sendo a maior preocupação dos pescadores locais, o desemprego, a falta de arrastadouros de bote, mas também dificuldades em termos de tratamento e conservação do pescado.

Segundo o líder dessa associação, Isaías Pires, a pesca no Tarrafal de Monte Trigo passa por “dias difíceis”, numa altura em que “a grande maioria” dos pescadores está no desemprego.

Entretanto, de acordo com um estudo realizado pela Empresa Nacional da Administração dos Portos, Tarrafal de Monte Trigo está entre as comunidades que deverão, a partir deste ano de 2020, ser contempladas com infra-estruturas de apoio à actividade pesqueira, com destaque para arrastadouros.

Saliente-se que o plano de investimentos na economia azul, validado, em Dezembro, pelo Governo, prevê, para os próximos anos, investimentos à volta de 300 mil contos nas pescas no concelho do Porto Novo.

Os investimentos, segundo o plano, vão incidir na construção de infra-estruturas, formação e empoderamento do sector pesqueiro no Porto Novo, onde os cerca de 300 operadores têm estado a insistir na necessidade de construção de um cais de pesca e de arrastadouros de botes, além de um mercado de peixe.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos