Santo Antão: Pasto para o gado começa a faltar na zona Sul do Porto Novo – criadores preocupados

 

Porto Novo, 15 Ago (Inforpress) – O pasto para o gado começa a escassear-se na zona Sul do Porto Novo, em Santo Antão, para a preocupação dos criadores de gado dessa localidade que se manifestam “ansiosos” à espera das primeiras chuvas neste concelho

Os criadores de gado e os agricultores aguardam já com “alguma ansiedade” as primeiras chuvas neste concelho, onde, também, o problema de água para os animais já se faz sentir em algumas zonas, designadamente nos Planaltos Norte e Leste.

Na zona Sul do Porto Novo, segundo o representante dos criadores de gado, Irineu da Luz, o problema de água não se coloca ainda com muita acuidade, mas começa a faltar o pasto para os animais, adiantou.

Alguns criadores não só da zona Sul mas também dos Planaltos Norte e Leste do Porto Novo já vão alertando, caso não chova nas provas duas semanas, para a necessidade do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) apoiar a classe no salvamento do efectivo pecuário, no concelho.

Em Junho, o presidente da Assembleia Nacional e deputado pelo circulo eleitoral de Santo Antão, durante uma visita à zona Norte do Porto Novo, pediu ao Governo para avançar com “um plano de salvamento do gado” nessa zona, onde, já nessa altura, se sentia a falta de água e ração para os animais.

“De visita ao Planalto Norte de Santo Antão fui confrontado pelos criadores de cabra da necessidade urgente de um plano de salvamento do gado”, avançou, na ocasião, Jorge Santos, alertando que “faltam água e ração para os animais”, avisou.

O MAA tem estado em dificuldades para atender aos pedidos de fornecimento de água aos criadores no Porto Novo, já que dispõe apenas de um auto-tanque para atender aos pedidos dos 250 pastores existentes no concelho.

O delegado do MAA, Joel Barros, tem estado a defender  a “discriminação positiva” deste concelho em matéria de salvamento do gado, com ênfase na resolução do problema de água.

Segundo este responsável, a delegação do MAA tem enfrentado “enormes dificuldades” para atender à “grande demanda” dos criadores em relação ao fornecimento de água para o gado, uma vez que tem apenas uma viatura para o efeito.

Dada a dimensão do concelho, o mais extenso e disperso de Santo Antão, mas, sobretudo, devido ao número do efectivo pecuário, estimado em 14 mil cabeças de gado, e à importância do sector pecuário na economia local, Porto Novo precisa de mais um camião auto-tanque, segundo o responsável.

JM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos