Santo Antão: Municípios vão lutar com os agricultores para levantamento do embargo aos produtos agrícolas – AMSA

Porto Novo, 04 Out (Inforpress) – As câmaras municipais de Santo Antão vão “lutar” com os agricultores para levar o Governo a levantar o embargo imposto desde 1984 aos produtos agrícolas desta ilha, informou o presidente da Associação dos Municípios de Santo Antão (AMSA).

“O embargo é um outro problema que Santo Antão enfrenta. Os agricultores desta ilha são penalizados, já que o mercado, por causa do embargo, restringe apenas à ilha de São Vicente, também disputado pelos agricultores de São Nicolau e Santiago”, explicou Orlando Delgado.

Para o presidente da AMSA, o sector agrícola nesta lha não pode continuar a ser penalizado com o embargo, razão pela qual as autarquias estão ao lado dos agricultores nesta luta, que visa exigir do Governo o fim desta medida de quarenta, decretada há 34 anos, por causa da praga dos mil-pés.

“Não podemos exportar os produtos para as ilhas do Sal e Boa Vista por causa dos transportes marítimos inter-ilhas e não podemos chegar a Santiago, por causa dos mil-pés”, lamentou o autarca, para quem Santo Antão não pode continuar com o embargo.

O Governo, que reconhece que “Santo Antão não pode continuar a ser prejudicado pelo embargo” , garante estar  à procura de “soluções” para reverter a situação.

“É uma questão que está a ser analisada. Temos que discutir várias soluções, porque a ilha não pode ficar prejudicada, mas tempos que repensar o impacto. Estamos a trabalhar para que isso aconteça”, avançava, em Setembro, o vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, durante uma visita a Porto Novo.

Para resolver a questão do embargo, explicou, o executivo defende investimentos na educação, na investigação, mas, sobretudo, na transformação dos produtos agrícolas, ou seja, produzir e transformar na própria ilha para a  exportação, conforme o governante.

Os produtores agrícolas de Santo Antão, por causa da praga dos mil-pés, que terá chegado à ilha nos anos 70, proveniente da Europa, enfrentam constrangimentos a nível do mercado.

Porém, o anúncio do Governo de que está-se a criar as condições para o levantamento do embargo deixa “aliviados” os produtores, que dizem-se “ansiosos” pela concretização da medida.

JM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos