Lenine Tavares único educador infância em Santo Antão encara função como “algo perfeitamente normal”

 

Porto Novo, 20 Abr (Inforpress) – Um homem a exercer a função de educador de infância pode parecer “algo estranho” para a sociedade, mas se trata de “uma situação perfeitamente normal” para Lenine Tavares, único monitor de jardim infantil a trabalhar em Santo Antão.

“Se vermos o pré-escolar como sistema de ensino/aprendizagem vamos ver que se trata de algo perfeitamente normal”, sublinhou Lenine Tavares, monitor de jardim infantil no concelho do Paul, onde exerce a função há três anos.

Contudo, admite que a sociedade cabo-verdiana “não está preparada” para ver um homem a trabalhar como educador num jardim-de-infância, uma função sempre exercida por mulheres, avançou Lenine Travares, que falava, esta quinta-feira, à imprensa, no Porto Novo, no arranque do fórum sobre o pré-escolar em Santo Antão.

“A sociedade cabo-verdiana não está preparada para essa situação, mas creio que, em pouco tempo, haverá muitos homens a trabalharem no pré-escolar, apesar do salário praticado não ser atractivo”, notou este educador de infância, defendendo a valorização dessa função em Cabo Verde.

Lenine Tavares, formado em pré-escolar pelo Instituto Pedagógico do Mindelo e a frequentar o complemento de licenciatura em ciências naturais, exerce, por gosto, a função de educação de infância há três anos no Paul e acredita que pode ser um exemplo para outros homens que queiram enveredar por essa profissão.

Lembrou que nos países desenvolvidos há muitos homens a exercerem essa função, exemplificando o caso de Portugal, onde cerca de uma centena de homens está no pré-escolar.

JM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos