Santo Antão: Fábrica de azulejos encerrada por causa da covid-19 promete reabrir as portas quando “situação assim o permitir”

Porto Novo, 11 Mai (Inforpress) – A unidade de produção de azulejos em Santo Antão decidiu, “há bem pouco tempo”, encerrar as portas devido às restrições impostas pela covid-19, mas a administração promete reabrir a fábrica quando “a situação assim o permitir”.

O representante desta unidade, Hirondino Silva, disse à Inforpress que esta unidade decidiu suspender a sua actividade por causa da pandemia do novo coronavírus, mas deixa a garantia de que a produção de azulejos com recurso a plásticos será retomada assim que as condições estejam criadas.

A fábrica, instalada em 2017, em Penedo de Janela, no Paul, transforma plásticos em azulejos, já bastante utilizados nas obras de construção civil em Santo Antão. 

A unidade, que tem capacidade para produzir até 24 mil pedras de diferentes padrões/ano, tem sido muito referenciada pelo seu contributo na retirada do ambiente de “grandes quantidades” de plásticos, transformando-os em azulejos.

O empreendimento, instalado pela activista social Maria Teresa Segredo, é, para os ambientalistas, “um exemplo inspirador” que impulsiona a “economia verde”, pelo seu contributo na redução de plásticos e na valorização dos resíduos, tendo sido galardoada com medalha de mérito ecológico pela Câmara Municipal do Paul.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos