Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santo Antão: Edilidade disponibiliza quatro hectares de terreno para exploração agrícola nos arredores do Porto Novo

Porto Novo, 10 Abr (Inforpress) – Os Verdes, uma organização de agricultores com sede na cidade do Porto Novo, Santo Antão, têm acordo com a edilidade local para a exploração agrícola de quatro hectares de terreno na zona de Lajadinho, nos arredores desta urbe.

Com o projecto, que deverá arrancar dentro de três meses, os Verdes vão poder desenvolver em Lajadinho um projecto de desenvolvimento agrícola integrado, à semelhança do que está a acontecer em Ribeira Corujinha, também na cidade do Porto Novo.

Em Lajadinho, existe em furo, que esteve abandonado nos últimos anos, mas que, no quadro do programa de mitigação dos efeitos da seca, vai ser recuperado e equipado, ainda no primeiro semestre de 2018, com um sistema fotovoltaico e colocado à disposição desses agricultores.

Segundo o delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) no Porto Novo, Joel Barros, esses agricultores vão ter ainda apoio deste ministério, através do programa Poser (promoção das actividades socio-económicas rurais) na construção de um reservatório e de instalação de um sistema de rega localizada.

Porto Novo está a ser contemplado, desde meados de 2017, pelo projecto sobre agricultura urbana e periurbana, financiado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura(FAO), em 265 mil dólares, estando as acções a decorrer normalmente, segundo o delegado do MAA.

A formação da população beneficiária, o equipamento de um furo com painéis solares, com capacidade de produção de 200 toneladas de água/dia, e construção de um viveiro são algumas das acções já implementadas no Porto Novo, no quadro do projecto.

Além do Porto Novo, que já dispõe do seu plano director sobre a agricultura urbana e periurbana, o projecto abarca ainda as cidades do Mindelo (São Vicente), Espargos (Sal) e da Praia (Santiago).

Porto Novo dispõe de uma extensa área periférica com disponibilidade de terrenos para agricultura urbana e periurbana, com o objectivo de melhorar o aspecto ambiental desta cidade, mas também contribuir para a segurança alimentar das famílias.

Ao longo deste projecto, a edilidade promete disponibilizar cerca de 30 hectares de terreno (aérea equivalente a 30 campos de futebol) para exploração agrícola nos arredores da cidade do Porto Novo.

O projecto sobre agricultura urbana e periurbana, lançado a nível nacional, em 2015, tem por objectivo melhorar a dieta das pessoas e garantir a segurança alimentar, mas também proporcionar a geração de rendimentos às famílias de baixa renda.

Porto Novo beneficia ainda do projecto de apoio à floresta urbana e periurbana, que consiste na criação de espaços verdes e reflorestação.

O projecto de apoio à floresta urbana e periurbana, também financiado pela FAO, em 423 mil dólares, prevê o equipamento de dois furos no Porto Novo, cuja água produzida vai ser aproveitada na implementação das acções do projecto.

JM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos