Santo Antão: Deputados do MpD incitam Governo para adoptar plano de emergência para acudir a ilha face ao atraso das chuvas

 

Porto Novo, 05 Out (Inforpress) – O atraso das chuvas em Santo Antão está a preocupar os deputados nacionais do MpD (poder), eleitos por esta ilha, que incentivam o Governo para a necessidade de um plano de emergência para “acudir” os camponeses, nesta região.

Os parlamentares do partido no poder, chefiados pelo presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, também eleito nacional por Santo Antão, iniciam, esta sexta-feira, uma visita de uma semana aos três concelhos da ilha para se inteirar da situação do ano agrícola.

O deputado Damião Medina informou que pretende-se, sobretudo, contactar as autoridades da ilha, agricultores e criadores de gado das zonas altas, dado o atraso das chuvas em Santo Antão, “por forma a incentivar o Governo a implementar um plano de emergência para acudir” as populações.

Além disso, os deputados nacionais do MpD pretendem, no quadro da visita, encontrar-se com as estruturas judiciais em Santo Antão, “antecedendo o debate sobre o estado da justiça”, agendado para a próxima sessão da Assembleia Nacional, no final deste mês de Outubro.

A situação do ano agrícola em Santo Antão parece mais difícil no concelho do Porto Novo, onde a cultura do milho está praticamente perdida, segundo os agricultores.

O concelho tem sido, ultimamente, fustigado por ventos secos que já terão deitado por terra todas esperanças dos agricultores, que dizem ter já perdidoainda as culturas de feijões e batata-comum.

Os lideres associativos exortam o Governo a socorrer os camponeses que, praticamente, já perderam tudo este ano, alertando que, no caso da zona Norte, há criadores de gado que enfrentam dificuldades para salvar os seus animais.

Em Junho, Jorge Santos, durante uma visita à zona Norte do Porto Novo, pediu ao Governo para avançar com “um plano de salvamento do gado” nessa zona, onde, já nessa altura, se sentia a falta de água e ração para os animais.

Arlindo Delgado, presidente da Associação para o Desenvolvimento Integrado da Ribeira das Patas, defende o reforço do emprego público no Porto Novo para atenuar os efeitos de mais um ano difícil, neste concelho.

O Governo já admitiu a possibilidade de accionar um plano de contingência no país, caso se confirme o mau ano agrícola em Cabo Verde.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos