Santo Antão: Criação da futura Universidade Agrícola discutida em mesa redonda em Agosto

 

Porto Novo, 14 Jun (Inforpress) – A criação da Universidade Agrícola de Santo Antão será debatida, em Agosto, nesta ilha, numa mesa redonda promovida pelo mentor do projecto, o professor universitário António Silva, que pretende com o evento engajar os municípios santantonenses na sua concretização.

António Silva, radicado na Holanda, garantiu ter já mobilizado algumas parceiras, designadamente da Cooperação Holandesa, para a concretização, “a curto prazo”, da Universidade Agrícola de Santo Antão, faltando apenas o engajamento dos autarcas santantonenses.

Este acadmémico, falando à Inforpress, informou que, para a implementação do projeco, falta nesta altura a vontade política das autoridades cabo-verdianadas, mas sobretudo dos municipios de Santo Antão.

Com a mesa redonda em Agosto, em Santo Antão, António Silva avançou que, além de socializar o projecto, é, também, o propósito conseguir o apoio e engajamento dos autarcas, mas também dos quadros santontonenses e da sociedade civil na criação dessa universidade.

“O que se precisa é a vontade política dos governantes em Santo Antao, que já conhecem o projecto. Precisamos do apoio da sociedade civil, mas também precisamos convencer os municípios sobre a importância dessa universidadepara o desenvolimento desta ilha”, avançou o professor, recordando que a proposta de criação desse estabelecimento de Ensino Superior foi lançada há seis anos.

O professor disse ter, além da parceria da Cooperaçao Honadesa, ainda o apoio dos seus colegados holandeses, especialistas em Ciências Agrárias.

António Silva, natural de Santo Antão, deseja que a futura universidade seja propriedade conjunta dos municípios desta ilha, mas gerida por uma fundação que, sob tutela das autarquias, assumiria a sua gestão.

Entende que Santo Antão tem condições, tanto a nível de infra-estruturas, como em termos de recursos humanos, para receber a universidade, existindo na ilha “muitos quadros preparados”, com mestrado em Ciências Agrárias, assegurou.

O Centro agrícola do Afonso Martinho, na Ribeira Grande, e o Centro Pecuário de Lajedos, no Porto Novo, são, “indiscutivelmente”, locais adequados para serem transformados em Campus da universidade, explicou.

Os santantonenses têm estado, de facto, a defender um Ensino Superior “desenhado” para a realidade de Santo Antão, tendo proposto já, em diversos fóruns, a criação de um Instituto Superior de Ciências Agrárias, capaz de realizar, na própria ilha, “cursos desenhados para o mundo rural”.

Santo Antão necessita, segundo alguns quadros, de um estabelecimento de Ensino Superior orientado para o sector agro-pecuário.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos