Santo Antão: CNPD pede melhor procedimento de protecção de dados no Hospital Regional João Morais

Ribeira Grande, 27 Jan (Inforpress) – A jurista da Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD), Carla Resende, pediu hoje ao corpo directivo do Hospital Regional João Morais  (HRJM) para melhorar o procedimento de protecção de dados naquela estrutura de saúde.

Carla Resende, que fala à impressa após a palestra sobre “A protecção de dados de saúde em tempos da covid-19”, disse que o HRJM tem de “aprimorar” os procedimentos internos de modo “adequar da melhor forma” a protecção de dados.

“Muitos tratamentos são feitos de forma manual e entendemos que o mais apropriado é ser feito no sistema informático onde há melhor segurança e protecção das informações” explicou a jurista da CNPD.

Entretanto, segundo a mesma fonte, as medidas de segurança implementadas e as práticas no HRJM estão “em conformidade” com a Lei da Protecção de Dados, mas que “há sempre a necessidade de se aprimorar os procedimentos internos”.

Conforme o director clínico do HRJM, Dionísio Semedo, a equipa da Comissão Nacional de Protecção de Dados, de modo geral, identificou que no HRJM o serviço em si tem “muitas falhas” em relação à protecção de dados dos pacientes.

“Embora até então estivemos guiados pelo código deontológico do médico, achamos necessário que haja essa parceria e tenhamos de nos adequar a lei nacional para que haja um melhor armazenamento desses dados relativamente ao quadro clínico do paciente”, concretizou a mesma fonte, que admitiu que o hospital encontra-se “muito aquém do esperado”.

“Mas vamos adequando os serviços para melhor atender essa situação”, finalizou Dionísio Semedo.

A palestra é mais uma actividade enquadrada na celebração do Dia da Protecção de Dados, no dia 28 de Janeiro.

LFS/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos