Santo Antão: Cidade do Porto Novo vive penúria de água há uma semana para a aflição da população

 

Porto Novo, 28 Set (Inforpress) – A cidade do Porto Novo, Santo Antão, passa, há cerca de uma semana, por uma situação de penúria de água que obrigou às autoridades municipais a adoptarem um programa de racionamento do abastecimento nos diferentes bairros.

A situação, que se deve a “um problema técnico” na unidade de dessalinização de água da empresa Águas do Porto Novo (APN), afecta todos os bairros, mais de forma particular as zonas altas da cidade do Porto Novo, onde os moradores estão já muito aflitos.

O técnico da APN, Jailton Santos, confirmou que, efectivamente, a empresa se depara, já há alguns dias, um problema técnico em uma das unidades de dessalinização, que acabou por reduzir a capacidade de produção da empresa.

Esse problema que, segundo o director do Serviço Autónomo de Água e Saneamento (SAAS) do Porto Novo, Jorge Pires, criou um défice na produção com reflexos na distribuição, obrigou a esse serviço adoptar um programa de racionamento da água nesta cidade, para evitar males maiores.

Jorge Pires admitiu à Inforpress que está-se perante “um problema sem fim à vista”.

Nos bairros de Alto São Tomé, Galinheira, Alto Peixinho e outros que ficam na parte mais alta da cidade, os moradores avisam que há mais de uma semana que estão sem “um pingo de água”.

A APN, instalada em 2007, no quadro de uma parceria público-privada, envolvendo a empresa Águas de Ponta Preta, o Governo de Cabo Verde e o município do Porto Novo, possui duas unidades de dessalinização com capacidade de produção até dois mil metros cúbicos de água por dia.

No quadro de um acordo com a Câmara Municipal do Porto Novo, a APN disponibiliza, diariamente, 400 metros cúbicos de água por dia, que são distribuídos aos utentes pelo SAAS, através da rede pública.

JM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos