Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santo Antão: Centro pós-colheita pode estar em vias de ser transformado num centro agro-industrial

Porto Novo, 02 Fev (Inforpress) – O centro pós-colheita de Santo Antão, instalado, em 2010, na cidade do Porto Novo, poderá ser transformado num centro agro-industrial com capacidade de transformação, embalagem, certificação e distribuição de produtos para os mercados turísticos nacionais.

A transformação do centro pós-colheita num centro agro-industrial faz parte de um pacote de investimentos que Brine Engineering Solution, uma empresa britânica, especializada na criação de modelos de investimentos em energia renovável, água e agro-indústrias, pretende realizar a partir deste ano, em Santo Antão.

“A empresa pretende investir no centro pós-colheita do Porto Novo e transformá-lo num centro agro-industrial e criar capacidade de transformação e distribuição para os hotéis e resorts em Cabo Verde, nomeadamente nas ilhas do Sal e da Boa Vista”, explica Brine Engineering Solution, num documento a que a Inforpress teve acesso.

A edilidade porto-novense já se comprometeu a “dar todo o apoio institucional” a Brine Engineering Solution, sobretudo junto do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), proprietário do centro de expurgo, visando à transferência da gestão dessa infra-estrutura de tratamento e embalagem de produtos para essa empresa, sediada em Londres.

Brine Engineering Solution, no quadro do programa AquaSum, além de produção de energia eléctrica, a partir das energias renováveis e de dessalinização de água do mar, para a produção agrícola tradicional e hidropónica, pretende também investir no centro pós-colheita de Santo Antão, até agora, sub-aproveitado.

O centro pós-colheita de Santo Antão, concebido para contornar o problema do embargo, imposto desde 1984 aos produtos agrícolas desta ilha, por causa da praga dos mil pés, tem sido, ao longos desses anos, “sub-utilizado”, admite o próprio MAA, que já prometeu proceder a sua deslocalização para porto do Porto Novo.

Segundo o MAA, esse centro, com capacidade para processar quase quatro mil toneladas de produtos por ano e representou um investimento à volta dos 120 mil contos, tem “muitas vulnerabilidades” desde logo, o custo de funcionamento (elevados custos com energia eléctrica) e a sua má localização, que encarecem o serviço prestado aos agricultores.

Por isso, a Brine Engineering Solution propõe o funcionamento centro pós-colheita através de energia fotovoltaica.

Para além do investimento no sector agro-industrial e a construção de um campo de hidroponia, Brine Engineering Solution pretende, também, instalar no Porto Novo um parque solar de 2,5 megawatts e montar uma unidade de dessalinação, capaz de produzir, diariamente, 3.500 metros cúbico de água.

A empresa submeteu, há cerca de um ano, ao Governo um programa de investimentos privados em Cabo Verde, denominado “AquaSun”, que consiste em dois projectos para as ilhas de Santo Antão e Santiago, estimado em 42 milhões de euros (4,6 milhões de contos), mas que poderá estender-se aos 50 milhões de euros (5,5 milhões de contos).

A Brine Engineering Solution, que diz ter já parecer e o despacho positivo do executivo, deve avançar com os investimentos ainda no decurso de 2018.

Uma missão dessa empresa é esperada no dia 06 de Fevereiro em Santo Antão (uma delegação desta empresa tinha estado nesta ilha em Abril de 2017) para mais “uma etapa negocial” com as autoridades municipais, com vista à concretização dos investimentos em carteira.

A edilidade porto-novense, além de “todo o apoio institucional necessário”, está ainda “disponível” para ceder terrenos para a implementação do projecto.

JM/CP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos