Santo Antão/Café: Seca tem afastado cada vez mais os produtores das explorações em situação de abandono

Porto Novo, 27 Nov (Inforpress) – Os três anos de seca consecutivos que afectam Santo Antão têm tido, como uma das consequências, o abandono, por parte dos produtores, das explorações do café nesta ilha, situação que está a levar ao declínio desta cultura.

Nas zonas alta do concelho do Paul, as explorações do café estão em situação de abandono, facto que, segundo os proprietários, deve-se à seca, fenómeno que está a fazer desaparecer a produção do café nessas zonas de grande potencial a nível deste cultivo, outrora com impacto na economia em Santo Antão.

Um levantamento feito no quadro do projecto de valorização do café em Santo Antão, suspenso em 2016, depois de três anos de implementação, concluiu que a ilha dispõe de 63 explorações localizadas no Paul e na Ribeira Grande, cuja maioria está em situação de abandono, com impacto na degradação dos terrenos e no envelhecimento dos cafezais.

Em 2013, Santo Antão passou a beneficiar de um projecto sobre a valorização do café na ilha, que visava, essencialmente, o relançamento desta cultura, projecto esse, porém, suspenso em 2016, mas que pode estar em vias de ser retomado, segundo um técnico do Ministério da Agricultura e Ambiente, ligada ao projecto.

Num encontro realizado, em Setembro, entre o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, e os produtores do Paul, criou-se uma equipa pluridisciplinar, envolvendo os agricultores, técnicos e as câmaras municipais de Santo Antão, que se encarregará de propor medidas visando a resolução dos problemas que se colocam ao sector agrícola na ilha, com destaque para o relançamento do sector cafeeiro.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos