Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santo Antão: Água já chega às comunidades do Planalto Leste no quadro do projecto financiado pelo II compacto do MCA 

Porto Novo, 21 Out (Inforpress) – A água potável já chega a todas as comunidades do Planalto Leste de Santo Antão, graças ao projecto de abastecimento de água a esse planalto, financiado no quadro do II compact do programa Millenium Challenge Account (MCA).

Segundo o presidente da Associação dos Municípios de Santo Antão (AMSA), Orlando Delgado, “neste momento, todas as localidades do Planalto, desde Corda, passando pelo Espongeiro, até Lagoa, têm água canalizada”, graças a este projecto que, durante o incêndio, ocorrido em Julho, neste perímetro florestal sofreu danos, sobretudo na parte de adução e da rede eléctrica.

Além da rede eléctrica, que foi reparada logo após o incêndio, está igualmente reposta toda a rede de adução de água, que interliga as sete estações de bombagem partir de Losnas, em Ribeira da Torre, no município da Ribeira Grande, estando as localidades desse planalto a beneficiarem, nesta altura, de água potável.

A resolução definitiva do problema de água ao Planalto Leste surge no âmbito do  projecto financiado em 253 mil contos através do II compact do MCA, que consistiu na captação e distribuição de água às zonas altas de Santo Antão, abarcando ainda, além desse planalto, o vale do Paul e a Costa Leste da Ribeira Grande.

No quadro desse projecto, instalou-se no Porto Novo uma central fotovoltaica, com uma potência de 80 Kw (quilowatts), para alimentar as estações de bombagem, mas que ainda não entrou em funcionamento devido a um problema técnico.

Orlando Delgado explicou que falta instalar nessa central um disjuntor, que não estava previsto inicialmente, peça que já foi adquirida, num montante de dois mil contos, devendo a central começar a funcionar “brevemente”.

Toda a energia produzida pela central fotovoltaica vai ser injectada na rede pública, a cargo da Empresa de Electricidade e Água (Electra) e, em compensação, os municípios de Santo Antão deverão ser isentos do pagamento do custo de bombagem.

O presidente da AMSA disse que tem havido “toda a abertura e disponibilidade” da Electra para chegar a um entendimento com os municípios de Santo Antão sobre esta matéria, permitindo que as populações do Planalto Leste possam consumir uma água a um custo baixo.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos