Santo Antão: Actividade pecuária continua ameaçada pelos cães vadios, segundo os criadores de gado

Porto Novo, 14 Mai (Inforpress) – Criadores de gado em Santo Antão continuam a braços com o problema dos cães vadios, que estão a dizimar o gado caprino nos três municípios santantonenses, constituindo-se, assim, numa ameaça à actividade pecuária nesta ilha.

Desde o Planalto Leste, passando por Santa Isabel, Ponta do Sol e zona baixa do Porto Novo, os criadores têm estado a alertar para o facto de estar a perder os seus animais ceifados por esses cães abandonados, com “avultadas perdas”.

Em Ponta do Sol, um criador diz ter perdido 35 cabeças de gado caprino atacadas por cães vadios, uma situação também que ocorre em várias localidades da ilha de Santo Antão, onde os criadores dizem-se “desalentados” perante este problema.

O presidente da Associação dos Agricultores e Criadores de Gado em Santa Isabel, Benvindo Melo, confirma que os cães vadios continuam a matar o gado caprino nas zonas altas de Santo Antão, apesar das denúncias, insistentemente, feitas pelos donos dos animais.

O representante da Associação dos Criadores de Gado do Porto Novo, Romeu Rodrigues, alerta para os “enormes prejuízos” contabilizados pelos criadores, nos últimos anos.

As autoridades municipais e os serviços do Ministério da Agricultura e Ambiente em Santo Antão reconhecem que os cães vadios estão “a abalar o sector pecuário” em Santo Antão, pondo em risco o sustento de muitas famílias.

No Porto Novo, foi criada uma comissão de acompanhamento dessa problemática, que já está a preparar algumas medidas, visando resolver o problema, que passam, “num primeiro momento”, por identificar os donos dos cães e sensibilizá-los para a necessidade de tomar conta desses animais.

Num segundo momento, essa comissão promete avançar para o abate, “de forma planificada” dos cães que deambulam um pouco por toda a ilha de Santo Antão.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos