Nova coordenadora promete tudo fazer para proteger as crianças do abuso e exploração sexual

Cidade da Praia, 30 Nov (Inforpress)- A nova coordenadora da Rede Regional de Santiago de Sul de protecção à criança contra o abuso e exploração sexual prometeu, hoje, em articulação com a sua equipa e parceiros, tudo fazer para proteger as crianças desta problemática.

No seu discurso de tomada de posse, Ana Lissa Teixeira afirmou que falar em rede de protecção implica obrigatoriamente falar de articulação entre as instituições de trabalho colectivo que pressupõe a necessidade de acções conjuntas e compartilhadas.

Isto para, acrescentou, formar-se uma teia social capaz de alcançar um objectivo comum que se assenta na promoção do bem-estar físico, psicológico e social da criança.

“E é exactamente esta rede que pretendemos aqui construir, envolvendo instituições religiosas, de ensino, associações comunitárias, ONG, instituições privadas, pessoas particulares, baseado na cooperação, na conectividade e na divisão de responsabilidades e competências”, explicou.

No seu entender, trabalhar em rede significa, antes de tudo, reconhecer que todos os indivíduos e organizações são dotados de recursos, de capacidades, de possibilidades, e que também são possuidores de fragilidades, de carências e limitações.

Para esta responsável, a região Santiago Sul, sendo centro do país, acarreta desafios e demandas “muito” exigentes, mas asseverou que num esforço conjunto farão “proezas”, deixando “marcas profundas” na vida de muitos meninos e meninas em Cabo Verde.

“Ciente desta grande responsabilidade e de todas as suas implicações, com humildade, motivação, espírito de missão, trabalhando em estreita colaboração com toda a equipa e demais parceiros, comprometo-me publicamente, em nome da instituição a qual represento, tudo fazer para proteger as crianças contra o abuso e à exploração sexual”, prometeu.

Porque, conforme disse, o tema de abuso e exploração sexual de menores em Cabo Verde, particularmente em Santiago Sul, é uma problemática multissectorial que exige a concertação e a sinergia de todos, nomeadamente das autarquias locais, das instituições do Estado e do Governo, e da Sociedade Civil.

Neste sentido, Ana Lissa Teixeira sublinhou que a rede regional de Santiago Sul se configura numa parceria entre a sociedade civil e o Estado para dar resposta a esta problemática na região.

Aproveitou o momento para agradecer a embaixadora das crianças de Cabo Verde, presente no acto, pela entrega a esta causa e por representar e defender os direitos das crianças.

Para além de Ana Lissa Teixeira, a rede é formada ainda pelo coordenador adjunto, Víctor Pinheiro, a coordenadora de actividades e programas, Paulina Cardoso, a secretária, Stefany dos Santos, a tesoureira, Eugénia Soledad, e a responsável da comunicação e imagem, Ana Silva.

A Rede Nacional de Combate e Prevenção ao Abuso e Exploração Sexual de Menores é uma instituição filiada na Associação – Coalizão Cabo-verdiana dos Direitos da Criança, e que tem como parceiros de referência da ECPAT Luxembourg. ECPAT Brasil, a ACRIDES, o ICCA, a embaixada dos EUA em Cabo Verde, entre outros.

ET/JMV
Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos