Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santiago: Projecto “Inclusão Produtiva” prevê beneficiar 2.000 famílias na primeira fase – Governo

Assomada, 24 Nov (Inforpress) – O projecto “Inclusão Produtiva”, que arrancou hoje com uma acção de formação em técnicas de cozinha básica em quatro municípios de Santiago Norte, prevê beneficiar mais de 2.000 famílias na primeira fase em nove concelhos do País.

A afirmação é do ministro da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social, Fernando Elísio Freire, que falava hoje aos jornalistas em Cabeça Careira, Santa Catarina, após presidir a abertura oficial da formação em técnicas de cozinha básica, que beneficia 34 famílias de quatro municípios de Santiago Norte.

Além de São Salvador do Mundo, Santa Catarina, São Miguel e Santa Cruz, o projecto “Inclusão Produtiva” contempla famílias do Rendimento Social de Inclusão (RSI) dos municípios de Porto Novo e Ribeira Grande (Santo Antão), São Vicente, São Filipe e Praia (Santiago).

Na ocasião, o governante considerou este projecto do executivo, financiado pelo Banco Mundial, “estruturante e muito importante” para os objectivos do Governo, que é eliminar a pobreza extrema e absoluta.

Este projecto, conforme explicou, vai “inclui as pessoas”, através de actividades económicas para que possam ter acesso à uma profissão, ao rendimento para que possam viver de uma forma digna e com as suas próprias capacidades desenvolverem as suas vidas.

Nesta primeira fase, adiantou que o projecto vai abarcar 2.000 famílias dos nove referidos municípios, acrescentando que a partir de 2022 o mesmo vai ser alargado a todos os 22 municípios do País e vai atingir mais de 4.500 famílias.

Se alcançarem tal meta e com sucesso, Fernando Elísio Freire disse acreditar que vão conseguir atingir 25.000 cidadãos e tirá-los da pobreza, tendo em conta que das mais de 4.500 famílias beneficiárias terão um representante com profissão e rendimento.

Por outro lado, assegurou que todas as famílias foram escolhidas, através do Cadastro Social Único (CSU), que considerou “um instrumento transparente e rigoroso” e que tem merecido elogios quer do Sistema das Nações Unidas (ONU) como do Banco Mundial (BM).

É que, segundo assegurou, as famílias beneficiárias além de receberem uma renda e formação vão ser acompanhadas para não cometerem erros e para que possam ter educação financeira, visando fazer “bom uso” dos recursos transferidos.

A acção formativa, que nesta primeira fase contempla 34 famílias dos quatro municípios de Santiago Norte, vai ser ministrada pela Escola de Hotelaria e Turismo de Cabo Verde (EHTCV), e terá duração de 80 horas.

O acto de abertura oficial da formação de cuidador/a de dependentes, que teve lugar no na Igreja de Baixa, contou ainda com presença das formandas, presidentes das câmaras municipais de Santa Catarina e São Salvador do Mundo, Jassira Monteiro e Ângelo Vaz, respectivamente, e da representante do Banco Mundial, Eneida Fernandes.

FM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos