Santiago: Presidente da câmara pede conjugação de sinergias para um futuro novo para Tarrafal (c/áudio)

Tarrafal, 14 Jan (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Tarrafal, José dos Reis, pediu hoje conjugação de sinergias de vários actores para um novo futuro para aquele município do interior de Santiago, e prometeu governar “para todos”.

O novel autarca lançou este repto hoje, quando discursava na sessão solene da Assembleia Municipal do Tarrafal, no âmbito do Dia do Município e santo padroeiro Santo Amaro Abade, que se assinala esta sexta-feira, 15, acto que foi presidido pelo ministro do Turismo, Carlos Santos, em representação do Governo.

“O caminho do futuro ainda é longo e os desafios que enfrentamos (…) são sérios e muitos, porém, vamos conjugar sinergias e recursos para juntos vencermos o presente e construindo um futuro novo para Tarrafal e Cabo Verde. Vamos ser um município e uma Nação que podemos ser, governando para todos”, apelou.

Para tal acontecer, José dos Reis definiu a parceria como “imperiosa” em situação crise, sobretudo, da pandemia provocada pelo novo coronavírus, mas, no entanto, alertou, que tem que haver sempre um “trabalho conjunto” para se evitar que os problemas conjunturais passem a ser problemas estruturais.

Nesse sentido, assegurou que vai governar no respeito às normas do Estado alinhado com os Estatutos dos Municípios e à lei das finanças locais, tendo ainda em devida conta o programa do Governo da IX Legislatura e a Agenda 2030 e os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Na ocasião, o chefe do executivo municipal assegurou que não tem dúvidas que o desenvolvimento do Tarrafal e o cumprimento da sua vocação de pólo turístico da ilha de Santiago é capaz de trazer, por arrastamento, os sectores como os primários (pesca, pecuária e agricultura).

No entanto, adiantou que ao longo do mandato 2020-2024 a sua equipa vai apostar na infra-estruturação, equipamentos socio-económicos, requalificação urbana e preservação de equilíbrios ambientais, desporto, cultura, cooperação/parcerias público-privadas, juventude, educação, agro-negócio, empreendedorismo, mobilização da água e nos grupos vulneráveis.

Toda essa aposta, sustentou, visa dinamizar a economia local, gerar emprego produtivo e rendimento sustentável para as famílias.

Por seu lado, os eleitos municipais Ronaldo Cardoso, do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, poder) e Manuel Landim, do Movimento para a Democracia (MpD, oposição) divergiram quanto ao desenvolvimento do município ao longo dos 28 anos da governação do MpD.

Para o MpD, a nova equipa camarária começou mal o mandato, cometendo ilegalidades e “vingança”, referindo-se ao pagamento de salários aos vereadores antes da aprovação da profissionalização dos mesmos na Assembleia Municipal do Tarrafal e a não apresentação do plano de actividades e orçamento para o ano económico de 2021, estando a nova equipa a trabalhar com duodécimo.

A esse propósito, o PAICV, que gere a câmara, se defende questionando se pôr fim a venda de terrenos e outras “negociatas” que têm beneficiado um “grupinho” se são ilegalidades, e estanha o facto do MpD pedir que se faça algo que não fez ao longo da sua governação de 28 anos.

Já o eleito municipal do Movimento Independente Tarrafal (MIT), Adelino da Silva, reconheceu alguns ganhos e transformações ao longo dos 104 anos da criação do município, e disse esperar que a nova equipa faça algo para manter os jovens e vários quadros nesse município do interior de Santiago.

FM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos