Santiago Norte: Vice-primeiro-ministro ausculta operadores económicos de Tarrafal e São Miguel

Assomada, 23 Jun (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, reuniu-se hoje com operadores económicos dos municípios de Tarrafal e São Miguel para auscultar os “principais desafios” que enfrentam e como ultrapassar as dificuldades.

O encontro, que juntou instituições do Estado que apoiam o mundo empresarial e qualificação dos jovens, abordou temas da actualidade, nomeadamente o ambiente de negócios em Cabo Verde, acesso a financiamentos para micro, pequenas, médias e grandes empresas, empreendedorismo versus desemprego e ofertas formativas na actualidade.

Olavo Correia disse que o encontro teve como objectivo colocar em diálogo instituições que o Estado criou para apoiar o mundo empresarial e na qualificação dos jovens, para que juntos possam tirar ilações e conclusões em relação àquilo que se teve melhorar para que possam servir melhor a juventude.

Falando sobre o desemprego, disse que hoje em toda a parte do mundo há uma “crise enorme” de emprego, sobretudo para os jovens, informando que em toda a África todos os anos entram 11 milhões de jovens no mercado de trabalho, mas apenas 3 milhões conseguem emprego e 8 milhões vão directamente para desemprego e Cabo Verde faz parte deste desafio.

“O desenvolvimento em toda a parte do mundo é feito com base em algumas regras e princípios, e uma das regras importante do desenvolvimento – é que cada um de nós devemos ser responsáveis para o nosso próprio futuro. Não é o Estado que cria futuro para cada um de nos, mas sim cria condições para que possamos ter um futuro melhor”, lançou o governante.

O vice-primeiro-ministro disse ainda que o desenvolvimento passa por uma “melhor educação, competitividade do país, criação de instituições que podem incentivar”, mas advertiu que cada cidadão deve assumir a responsabilidade para com o seu futuro, da sua família, e da sua comunidade.

Tendo em conta que desenvolvimento é feito, igualmente, com base no talento, e “Cabo Verde os tem em várias áreas”, assegurou que enquanto Estado têm a obrigação de criar condições para que os jovens empresários, micro, pequeno e grande tenham um quadro de incentivo para que possam empreender, inovar, criar emprego e gerar rendimento, com o fito de fazer o país crescer e desenvolver.

“Estamos num processo de reformatação institucional, criação de instrumentos, sobretudo na criação de um quadro institucional para que as instituições estejam ao serviço dos jovens que estão nas localidades e ilhas, e nós temos que fazer proximidade para que possamos dar respostas”, anunciou.

Na sua perspectiva, para que tudo isso funcione, as instituições devem funcionar de forma alinhada, tendo em conta que os jovens precisam que elas os ajudem na preparação do seu projecto, no financiamento, acesso à formação profissional e ao mercado.

No encontro, marcado por uma forte presença de jovens empresários e recém-formados, participaram instituições criadas para incentivar jovens e empresários, entre elas a Pro-Empresa, Pro-Capital, Escola de Hotelaria e Turismo de Cabo Verde (EHTCV), Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI), Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSi)

Paralelamente ao evento foi assinado um protocolo entre o CERMI e a Câmara Municipal de Tarrafal.

FM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos